Novo algoritmo da Microsoft detecta vídeos manipulados e deepfakes

Por Ramon de Souza | 01 de Setembro de 2020 às 23h30
Reprodução/PxFuel
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Desinformação e fake news é um problema recorrente, especialmente nos Estados Unidos. Porém, com a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e as iminentes eleições presidenciais, tais campanhas se tornam ainda mais perigosas. E é por isso que a Microsoft acaba de revelar o Video Authenticator, uma tecnologia que utiliza um algoritmo próprio para verificar a autenticidade de um clipe.

A invenção, segundo a própria companhia, é capaz de analisar clipes e fotografias, prestando atenção em elementos que seriam invisíveis ao olho humano. Com base na análise, ele fornece uma “nota de confiança” para que o próprio usuário possa decidir se é válido acreditar naquele conteúdo ou não. O algoritmo seria altamente eficaz na detecção de deep fakes, afirma a Microsoft.

Além de prover o autenticador em si, a companhia também vai permitir que produtores de conteúdo adicionem hashes em suas produções, que seriam utilizados como certificados de autenticidade no caso de um vídeo ou uma foto ser modificada. Trata-se de algo similar ao programa Content Authenticity Initiative, da Adobe, que gera um histórico permanente e protegido criptograficamente para registrar modificações em fotografias.

Imagem: Divulgação/Microsoft

Por enquanto, o Video Authenticator estará disponível apenas para membros do RD2020, uma iniciativa sem fins lucrativos que ajuda repórteres e pesquisadores a combater a desinformação através de uma série de ferramentas específicas.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.