Lembra da HERE? O que anda fazendo a empresa cujos mapas salvaram muita gente?

Por Rui Maciel | 13 de Dezembro de 2019 às 10h23

Quem já tem um pouco mais de experiência no mundo da Tecnologia (um eufemismo educado para “Se você tem mais de 30 anos”), deve conhecer ou já ter ouvido falar da HERE. Caso você não conheça, trata-se da primeira empresa a criar um mapa digital realmente decente para celulares e smartphones e que podiam ser encontrados nos aparelhos da Nokia.

Conhecidos como HERE Maps, os mapas da marca fizeram grande sucesso, principalmente na primeira década deste século. Eles eram muito bem desenhados, precisos e - sua grande vantagem - era possível fazer download dos mesmos em seus telefones. Com isso, ficava muito mais prático não se perder por aí, por exemplo, em viagens ao exterior, quando, normalmente, as pessoas não contam com o pacote de dados de seu plano de telefonia móvel. Com os mapas dos locais dentro do smartphone, era só abri-los e aproveitá-los no modo offline, o que livrou muita gente de perrengues. Além disso, essa modalidade era algo que o Google implantaria apenas anos depois no seu Maps.

No entanto, os anos se passaram e a HERE “sumiu do mapa” (trocadilho proposital). A empresa fez uma espécie de reposicionamento de seu modelo de negócios, se voltou mais ao mercado B2B, principalmente o automobilístico, mas está mais presente na nossa vida do que imaginamos.

E para saber o que a HERE anda fazendo, conversamos com Jean Cleber Silva, Líder de Negócios para América Latina da companhia, durante a última Welcome Tomorrow - maior feira de mobilidade do país. E abaixo listamos 22 fatos sobre a HERE Technologies, que fazia mapas tão bons quanto o Google e salvou a pele de muita gente mundo afora. Confira!


1 - a HERE foi a primeira empresa a criar um mapa digital para ser embarcado em carros, explorando o GPS. O primeiro modelo foi um BMW Série 7 - em 1985. Hoje, os mapas da HERE estão em 90% dos carros que trazem sistemas de GPS instalados;

BMW Serie 7 de 1985 - essa belezinha foi o primeiro carro a contar com um sistema de GPS

2 - Originalmente, a empresa nasceu com o nome de Navitech. Ela passou a se chamar HERE apenas em 2008, quando foi comprada pela (ainda) poderosa Nokia, por US$ 8 bilhões. A marca finlandesa, que até então, era líder do mercado de telefonia móvel, comprou a Navitech pois precisava um programa de mapas para o Symbian, o sistema operacional dos celulares da marca. Daí nasceu o Nokia Maps;

Um mapa da HERE em um celular da NOKIA (quando foi comprada pela Microsoft)

3 - Em agosto de 2015, a Nokia - com a justificativa de queria se concentrar apenas na fabricação de smartphones (spoiler: não deu certo) - vendeu a HERE para um consórcio de montadoras alemãs, formada por Audi, BMW e Daimler (conglomerado dono da Mercedes-Benz) e que, curiosamente, competiam ferozmente entre si. O valor da aquisição foi de 2,8 bilhões de euros;

4 - A compra da HERE pelo consórcio de montadoras tinha um objetivo: focar no desenvolvimento de soluções de navegabilidade para carros autônomos;

5 - Se você tem um carro com GPS embutido de uma dessas marcas, então, comemore: o sistema de mapas da HERE está embarcado nele. No entanto, quando a empresa foi adquirida pelo consórcio de montadoras, houve um logo da empresa não aparecesse mais nos mapas;

Mapa da HERE em um veículo Audi A8 / Crédito da foto: HERE Technologies

6 - Com o tempo, o consórcio proprietário da HERE percebeu o potencial lucrativo das soluções da empresa e abriram os produtos da marca para outras companhias. A primeira a utilizá-los foi a Intel.

7 - Hoje, a HERE oferece soluções de navegação para ambientes outdoor e indoor. Nesse último caso, a empresa desenvolve mapas para locais como hospitais, aeroportos, centros de distribuição, entre outros;

8 - Para criar esses mapas indoor, a HERE usa as plantas baixas desses locais, faz a tradução dos mesmos e implementa esses dados em um mapa, elevando esse último em um ambiente 3D;

9 - E para que servem esses mapas? Bom, com um deles criado, a HERE faz a averiguação da conectividade desses locais e pode criar um projeto de geolocalização, sem precisar de tecnologias externas como 4G e 5G. Ao invés disso, ela pode usar padrões como Bluetooth, Wi-Fi, NFC e Zigbee - menos sujeitos a interferências externas, são eles que localizam o que se move ao redor nesses ambientes indoor;

Mapas de ambientes indoor da HERE / Crédito da foto: HERE Technologies

10 - Um bom exemplo de uso de um mapa indoor: em um complexo hospitalar - sempre muito movimentado - enfermeiros e médicos podem localizar uma sala ou área de forma mais rápido a partir do app de navegação. Isso é essencial em casos de emergência, onde o tempo é fundamental. Isso vale até mesmo para o deslocamento das equipes no tratamento dos pacientes;

11 - Essa tecnologia também pode ser usada para estudar o fluxo de pessoas em um shopping ou em aeroportos;

12 - Além dos mapas, a HERE também desenvolve soluções para a chamada Logística multimodal - ela consegue estabelecer, por exemplo, quais são os melhores modais dentro da estratégia de logística de uma empresa. Seus mapas contam com atributos que definem quais os melhores modais para entrega de produtos de um e-commerce; já o HERE Tracking é um monitoramento de ponta a ponta que calcula o impacto em termos de tempo de entrega, com variáveis, como média histórica dos voos e tráfego das grandes cidades;

13 - Toda plataforma de logística e localização da Amazon é baseada nas tecnologias da HERE;

14 - A HERE fez uma parceria com a cidade de Dubai - o objetivo é que a cidade se torne a primeira smart city do mundo até 2022 - uma das metas da parceria é fazer com que 30% dos ônibus sejam autônomos. Além disso, o governo local também quer que humanos deixem de realizar entregas na região;

15 - A HERE também tem uma parceria com a Unifly, empresa especializada no desenvolvimento de drones, para mapear o espaço aéreo das cidades norte-americanas. A ideia é criar ambientes seguros para que esses drones possam realizar entregas e outros tipos de serviços

Mapeamento em 3D do espaço aéreo de cidades para entrega usando drones

15 - Open Location Platform: essa é, segundo Silva, a maior bandeira da HERE na atualidade. Trata-se de uma plataforma aberta (pero no mucho), onde os usuários podem desenvolver um produto completo de navegação. O espaço funciona como um marketplace onde é possível obter mapas, soluções de privacidade e gamificação.

16 - O Open Location Platform funciona como uma espécie de “feira livre” de sistemas de localização, que utiliza a base de mapas da HERE como plataforma de negócios. Até mesmo produtos da concorrência são oferecidos por lá. A HERE monetiza com essa plataforma a partir do volume de dados transacionados(APIs, ferramentas, downloads e uploads, etc);

17 - A HERE também atua na área de aplicativos. O app que leva a marca da empresa consegue monitorar todos os hábitos do motorista ao volante. Os dados - com o consentimento do usuário, segundo a companhia - são enviados para seguradoras, que podem analisar como eles se comportam na direção, na hora de avaliar a renovação de sua apólice de seguros;

18 - Nos EUA, a HERE tem uma parceria com a Domino´s Pizza, onde criou uma solução de navegabilidade que calcula a melhor rota e pontos de entrega para que a pizza chegue no menor tempo possível, Inclusive, ela já é testada em carros autônomos e os dados gerados pelo software também permitem que se analise quais são os melhores lugares para abrir novas franquias da rede de pizzarias;

19 - Mesmo no modo offline, os mapas da Here conseguem fazer o recálculo de rota, evitando que o usuário passe por áreas de risco e se perca, mesmo quando essas regiões tem pouca (ou nula) cobertura das redes de telefonia;

20 - E por falar em sinal de telefonia, a HERE criou uma solução, cujo mapa consegue identificar a qualidade de sinal de cada operadora da região, mesmo em nÍvel de rua. Com o nome de HERE Cellular Signals, o produto já está disponível em 200 países;

21 - A empresa também desenvolveu o Live Sense, uma solução baseada em Inteligência Artificial, cujo sistema de mapas faz a navegação por realidade aumentada usando a câmera do smartphone. Quando acionado, o programa indica buracos na rua, mudanças de sinalização, o limite de velocidade e quando motorista o ultrapassa. Ainda em estágio beta, seu SDK já está disponível para as empresas, para que elas possam criar o próprio app baseado na plataforma

22 - Por fim, a HERE anunciou recentemente que se juntou à 5G Automotive Association (5GAA), uma entidade global intersetorial de empresas automotivas, de tecnologia e telecomunicações e que inclui pesos-pesados dessas indústrias, como AUDI AG, BMW Group, Daimler AG, Ericsson, Huawei, Intel, Nokia e Qualcomm Incorporated. O objetivo é desenvolver soluções de mobilidade e transporte e que usarão o 5G para se conectar e compartilhar informações. A HERE fornecerá a inteligência de localização, dados e serviços necessários para a condução automatizada e autônoma dos futuros veículos .

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.