Pesquisa revela que programadores estão mais interessados na plataforma Android

Por Redação | 02.01.2014 às 14:20

O relatório "Mobile Trends", realizado pela IDC e Appecelerator, revelou que, no último trimestre de 2013, os programadores demonstraram maior entusiasmo em desenvolver para a plataforma Android que para o iOS.

A plataforma utilizada pela Apple nos seus iPhone e iPad ainda lideram a preferência dos desenvolvedores, mas vem apresentando oscilações constantes desde o primeiro trimestre de 2012. O último trimestre, no entanto, registrou a maior baixa dos dispositivos desde que a pesquisa começou a ser realizada em 2010. De acordo com ela, 84% dos profissionais estão interessados em desenvolver para o iPhone no próximo ano, enquanto 81,7% demonstraram interesse pelo iPad.

Já o Android, que vem experimentando um crescimento gradual desde o segundo trimestre de 2012, atraiu a atenção de 79,4% dos programadores, que revelaram planos em desenvolver para smartphones com o sistema operacional. Por outro lado, os tablets ainda atraem tímidos 66,1% dos entrevistados.

O gráfico apresentado pela IDC mostra uma forte oscilação, principalmente, do iPhone no ano de 2013. Por outro lado, cada vez mais os desenvolvedores estão interessados em criar soluções para dispositivos Android.

O gráfico apresentado pela IDC mostra uma forte oscilação, principalmente, do iPhone no ano de 2013. Por outro lado, cada vez mais os desenvolvedores estão interessados em criar soluções para dispositivos Android.

Outro fato que chama atenção é o crescimento vertiginoso do interesse dos desenvolvedores pelo Windows Phone que, no último trimestre, alcançou seu maior índice ao atrair a atenção de 40% dos entrevistados.

O relatório ainda mostra alguns dados interessantes como o fato do Facebook ser, de longe, o serviço que mais foi integrado a outras aplicações pelos programadores e a linguagem de programação client-side Javascript ser a grande preferida de 47% dos entrevistados.

Em relação ao futuro, o levantamento apontou que 50% dos profissionais creem que o Google Glass será uma prioridade de desenvolvimento no curto prazo e que 50,2% deles já não mais acreditam no Windows como sua principal plataforma de trabalho.