Smartphones da Samsung com bateria de grafeno podem chegar já em 2020

Por Wagner Wakka | 13 de Agosto de 2019 às 12h40

A Samsung pode estar mais perto de lançar seus aparelhos cujas baterias são produzidas com tecnologia em grafeno. A empresa já comunicou que está desenvolvendo uma técnica que poderia aumentar a capacidade de energia deste componente, mas os custos de produção ainda são extremamente altos. Entretanto, uma nova informação de Evan Blass sugere que a companhia já tem planos para comercializar aparelhos com o sistema para o ano que vem.

Na em seu perfil no Twitter, ele informou que baterias de grafeno podem chegar aos aparelhos em 2020 ou, no máximo, em 2021.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“As baterias de íon-lítio não são o ideal. A Samsung acredita já ter o primeiro aparelho no próximo ano ou em 2021, me disseram, com bateria de grafeno no lugar. A capacidade de carregamento total é de menos de meia hora. Eles precisam ainda melhorar as capacidades e diminuir custo”, escreveu Blass..

Blass é conhecido por ter informações internas da indústria e antecipar informações do mercado com alta taxa de assertividade. Por este motivo, é possível dar credibilidade para informação.

A Samsung registrou uma patente para a tecnologia em 2017. Outro conhecido insider da indústria, Max J., disse que a Samsung completou o desenvolvimento de baterias de grafeno em 2018.

As peças podem contar com até 45% mais carga que uma atual bateria de íon-lítio usada nos aparelhos da empresa (e da indústria em geral). Isso porque o grafeno conduz melhor eletricidade e demora mais para deteriorar. Isso também explica a maior velocidade de recarga.

O problema, de fato, ainda reside no custo de produção. A Samsung não abre informações sobre isso, mas, segundo levantamento de Blass, ainda não foi reduzido o suficiente para ganhar escalabilidade, a Samsung subsidiar a tecnologia, ou repassar o preço para o usuário.

Apesar da informação de Blass, a Samsung ainda não confirmou um smartphone com bateria de grafeno.

Fonte: Evan Blass

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.