Sharp Aquos R6 enfrenta Mi 11 Ultra, S21 Ultra e iPhone 12 em teste de câmeras

Sharp Aquos R6 enfrenta Mi 11 Ultra, S21 Ultra e iPhone 12 em teste de câmeras

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 30 de Junho de 2021 às 10h40
Takahiro Koguchi/Engadget

A Sharp surpreendeu quando anunciou em meados de maio o Aquos R6, a aposta da companhia para o segmento de celulares premium "Ultra". Concorrente direto de nomes de peso como o Galaxy S21 Ultra e o Mi 11 Ultra, o telefone japonês impressionou por ser o primeiro do mundo a contar com um sensor de câmera de 1 polegada, tamanho extremamente avantajado para smartphones.

Para demonstrar as capacidades do componente, a Sharp chegou a divulgar uma seleção de fotos recentemente, mas somente nesta terça (29) tivemos o primeiro teste em uso real exibindo o que o aparelho é capaz de entregar. O YouTuber e editor do site XDA Developers, Ben Sin, colocou as mãos em uma unidade do Aquos R6 e, em um rápido teste, comparou a câmera do modelo com os principais rivais.

Aquos R6 entrega resultados mistos

O Aquos R6 é equipado com uma única câmera de 20 MP, acompanhada de lentes Summicron de 7 elementos desenvolvidas pela Leica e um sensor ToF 3D para cálculos de profundidade. Segundo Ben, a câmera impressiona em dois principais pontos: a captura de imagens noturnas e fotos com efeito bokeh, mas sem o uso de um modo dedicado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O tamanho avantajado do sensor permite que mais luz entre, basicamente eliminando a necessidade do uso de um modo noturno sem afetar a qualidade. As fotos realmente impressionam: mesmo com pouca iluminação, o aparelho consegue entrega um nível razoável de detalhes e apresentar um bom alcance dinâmico.

O tamanho avantajado do sensor permite a entrada de mais luz, praticamente dispensando a necessidade de uso do modo noturno (Imagem: Ben Sin/YouTube)

Também graças à enorme câmera, a profundidade de campo é significativamente menor, o que possibilita capturar imagens com efeito bokeh sem recursos de software. O resultado é um desfoque muito mais natural, agradável e preciso do que rivais que dependem de modos especiais e câmeras secundárias conseguem entregar.

Nem tudo é positivo, no entanto — em comparação ao Mi 11 Ultra, ao Galaxy S21 Ultra e ao iPhone 12 Pro, o Aquos R6 deixa a desejar em software e pós-processamento. Enquanto o aparelho japonês sofre com pontos muito luminosos e com um atraso de 1 segundo para a captura da imagem, os rivais trazem algoritmos mais maduros que entregam melhor alcance dinâmico, cores mais vivas e processamento mais veloz.

A enorme câmera também possibilita fotos com efeito bokeh natural (Imagem: Ben Sin/YouTube)

De toda forma, o celular da Sharp entrega uma amostra do que podemos esperar para a próxima geração de smartphones, que pode contar com resoluções significativamente mais altas e enfim adotar sensores maiores, como os de 1 polegada, segundo rumores.

Aparelho também se destaca pela tela e processamento

O jornalista também destaca rapidamente outras características fortes do Aquos R6. O modelo vem equipado com Snapdragon 888, 12 GB de RAM, 128 GB de armazenamento e uma bateria de 5.000 mAh. Fora isso, ao lado da câmera, a tela é mais um dos diferenciais do modelo — com 6,6 polegadas, o display traz painel OLED com resolução de 2730 x 1260 pixels e taxa de atualização de 240 Hz, até então inédita em celulares.

Para o YouTuber, a diferença não é tão pronunciada em comparação a uma tela de 120 Hz, mas pode se mostrar essencial conforme aplicativos e games comecem a ser otimizados para tirar proveito do display. Ben não realizou testes de bateria, mas acredita que o tanque deva ser suficiente para um dia de uso, considerando que há redução da taxa de atualização de acordo com o uso.

As primeiras impressões são concluídas com um breve tour pelo software, que é basicamente uma versão pura do Android na maior parte, contando com leves modificações da Sharp para tirar proveito dos recursos do telefone. Por ser vendido pela operadora DoCoMo, no entanto, há uma lista extensa de bloatware e mudanças duvidosas, como o uso de um botão virtual dedicado para abrir a gaveta de apps.

O Sharp Aquos R6 é, ao menos até o momento, uma exclusividade do mercado japonês e cobra caro pelo conjunto robusto de especificações. O dispositivo está disponível nas cores preto e branco, com preço sugerido de 115,632 ienes, ou algo em torno de R$ 5.190, em conversão direta.

Fonte: ben's gadget reviews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.