Quais as diferenças entre as gerações do Gorila Glass?

Quais as diferenças entre as gerações do Gorila Glass?

Por Pedro Cipoli | 05 de Março de 2019 às 13h57
Divulgação/Corning

O que é o Gorilla Glass, afinal de contas? Será que há alguma diferença real entre uma versão e outra ou trata-se de puro marketing? Bastante conhecida pela resistência extra contra riscos e arranhões, estamos falando de uma tecnologia que hoje está presente em uma quantidade considerável de smartphones.

Há diferenças importantes entre uma versão e outra, mas é importante não esquecer que ainda se trata de vidro. Ou seja, por mais resistente que seja, o Gorilla Glass não é indestrutível. Oferece, sim, uma resistência extra, mas isso não significa que não precisemos de cuidados especiais, como capas de proteção.

Agora vamos conhecer a evolução do Gorilla Glass.

Gorilla Glass 1

iPhone ajudou a popularizar o Gorilla Glass (Imagem: divulgação/Apple)

A primeira versão do Gorilla Glass foi criada pela Corning em 2005/2006, mas ficou conhecida apenas em 2007 por estar presente no primeiro iPhone. Não foi o único smartphone, mas certamente é o mais famoso.

Seu principal destaque era a proteção oleofóbica, minimizando a presença de digitais ou impurezas diversas. Contava com 1,5 mm de espessura, um exagero para os padrões de hoje, mas bastante comum na época.

Gorilla Glass 2

Espessura cai na 2ª geração (Imagem: divulgação/Google)

Atualmente temos uma sucessão frequente de gerações, mas a segunda geração do Gorilla Glass apareceu somente em 2012. A Corning garantia que a resistência extra era capaz de aguentar até 50 kg de pressão, o que era mais do que os concorrentes na época.

Seu outro destaque era ser 20% mais fino do que a geração anterior, sendo uma das características responsáveis pela diminuição da espessura dos smartphones. Presente em mais de 600 milhões de modelos, o Gorilla Glass 2 ficou famoso por estar presente no Galaxy S3 e no Nexus 4.

Gorilla Glass 3

Resistência a riscos é destaque na terceira geração (Imagem: divulgação/Samsung)

A terceira geração não ficou mais fina, mas incorporou uma tecnologia chamada Native Damage Resistance (Resistência Nativa contra Danos, em tradução livre), ou NDR. Em outras palavras, a resistência superior estava no próprio vidro e não em uma camada específica.

No caso, temos também mais 35% de resistência contra riscos, um diferencial extremamente importante para a durabilidade dos smatphones no longo prazo. Os modelos mais famosos que tinham Gorilla Glass 3 foram o Galaxy S4, Moto G (primeira geração) e Moto X.

Gorilla Glass 4

Gorilla Glass 4 traz resistência a quedas (Imagem: divulgação/Asus)

Uma pesquisa mostrou para a Corning que grande parte dos danos à tela eram causados por quedas. Exatamente por isso a empresa focou em aumentar a resistência da tela, prometendo uma resistência duas vezes maior.

Diferentemente das versões anteriores, o Gorilla Glass 4 não foi implementada em uma quantidade expressiva de modelos. Entre os smartphones mais famosos que utilizaram esta geração temos o Galaxy Note 5 e o Zenfone 2 Laser.

Gorilla Glass 5

5ª geração melhora resistência a quedas (Imagem: divulgação/Samsung)

A quinta geração passou a prometer parâmetros mais rígidos de resistência. Entre eles, a capacidade de sobreviver a quedas de até 1,6 metro, além de garantir a proteção em 80% dos casos de quedas de 1 metro em superfícies mais rígidas.

Entre os modelos mais famosos com Gorilla Glass 5 temos o Galaxy S9, S9+, OnePlus 6 e LG G7 ThinQ

Gorilla Glass 6

Resistência a quedas melhora na 6ª ger. (Imagem: divulgação/Oppo)

Em termos de resistência, o Gorilla Glass 6 pode ser entendido como o Gorilla Glass 5 em escala. Sobreviveu a 15 quedas consecutivas em superfícies rígidas, além de prometer até duas vezes mais resistência.

Ainda pouco comum no mercado, apareceu primeiro no Oppo R17 (e variantes).

Gorilla Glass Victus

Galaxy Note 20 Ultra estreou a sétima geração do vidro, usado na tela e na traseira (Imagem: divulgação/Samsung)

A sétima geração do material quebrou a tradição e foi batizada de Victus (das palavras em latim para conquistado ou estilo de vida). Anunciado em julho, o vidro estreou em agosto revestindo a tela e a traseira do smartphone Samsung Galaxy Note 20 Ultra (o modelo básico utiliza a quinta geração do material).

Segundo a Corning, o material resiste a quedas em superfícies rígidas de dois metros de altura. Além disso, é até duas vezes mais resistente a riscos do que o Gorilla Glass 6.

Outras versões do Gorilla Glass

Além das gerações principais do material, a Corning lançou modelos do vidro com diferentes aplicações:

  • Gorilla Glass DX/DX+ (2018): voltado para smartwatches e dispositivos vestíveis, o material inclui características anti-reflexo para uso em ambientes abertos. É usado, por exemplo, no Samsung Galaxy Watch;
  • Gorilla Glass 3+ (2019): pensado para smartphones intermediários e básicos, o 3+ combina a resistência a riscos do GG3 com a proteção contra quedas (de até 0,8 metro de altura) da 4ª geração.

Como saber se o seu smartphone possui Gorilla Glass? E, caso positivo, qual versão? Basta acessar o banco de dados do Canaltech e procurar o seu modelo.

Fonte: Corning

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.