Análise | Motorola One Action é Android One para os aventureiros

Por Pedro Cipoli | 16 de Agosto de 2019 às 09h22
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Motorola One Action

Ficha técnica

O Motorola One Vision chegou com um pacote completo: tela CinemaVision de 6,3 polegadas, um bom conjunto de câmeras e Android One. Foi uma evolução e tanto em relação ao Motorola One, acertando tanto na tela quanto na configuração.

O One Action que vamos conhecer hoje é, em muitos aspectos, idêntico ao One Vision, mas vem com um diferencial importante: ele tem uma câmera de ação dedicada “à la” GoPro. E vamos conhecer mais sobre ele nas próximas linhas.

Moto One Action: review

Design e construção: Vision ou Action?

One Vision e One Action trazem basicamente a mesma identidade visual. Trazem cores diferentes (azul denim, aqua marine e branco polar no One Action), mas são bastante semelhantes, em especial na parte frontal. O que diferencia um do outro é a parte traseira, já que o One Vision conta com duas câmeras, contra as três do One Action.

A tela em formato 21:9, que a Motorola chama de CinemaVision, dão um aspecto único ao modelo, basicamente compensando o orifício da câmera frontal. E, claro, possibilita uma pegada firme mesmo para quem tem mãos pequenas, mas é necessário usar as duas mãos para alcançar todas as regiões da tela. O que não acontece com o sensor de impressões digitais traseiro, já que é bastante simples alcançá-lo com uma das mãos.

As três cores do One Action: Azul Denim, Aqua Marine e Branco Polar

Temos, também, o mesmo posicionamento da caixa de som, porta USB-C e microfone na parte de baixo, assim como um conector para fones de ouvido na parte de cima. Os botões de energia e os controle de volume estão na lateral direita, com a parte esquerda reservada para a gaveta para os dois chips SIM ou um chip e um cartão microSD de até 1 TB.

Moto One Action: tela

Temos as nossas dúvidas sobre as supostas vantagens de uma tela 21:9. De fato é um aspecto comum em telas de cinema (daí o nome CinemaVision), mas o orifício da câmera frontal é realmente grande. Há uma justificativa técnica para isso, já que é uma tela IPS que, diferentemente das telas AMOLED e OLED, precisa de um painel para iluminar toda a tela. Por isso a borda preta mais grossa ao redor da câmera.

Isso explica o seu tamanho, mas não altera o fato de que ela ocupa uma parte considerável do canto superior esquerdo. O diferencial anunciado, que é assistir vídeos 21:9, acaba não sendo tão útil, já que vídeos são majoritariamente 16:9. De qualquer forma, a vantagem é que é uma tela interessante para navegar na internet, permitindo ver mais conteúdo na grande maioria dos portais de tecnologia.

A resolução permanece 2520 x 1080 pixels, conhecido como Full HD+, que é basicamente o Full HD (1920 x 1080 pixels) estendido de 16:9 para 21:9. A qualidade é excelente e digna de um modelo intermediário, e não temos o que criticar. É claro que poderia ser AMOLED, o que também minimizaria o impacto visual da câmera frontal, mas certamente encareceria consideravelmente a versão final.

Moto One Action: configuração

O chip Exynos 9609 é pouco conhecido do público em geral e causa um estranhamento inicial, já que é produzido pela Samsung, uma concorrente da Motorola. De qualquer forma, ele oferece um desempenho bastante respeitável, brigando diretamente com o Snapdragon 660 em diversos quesitos e trazendo um processo de fabricação atualizado.

São oito núcleos divididos em dois clusters: um quad-core de alto desempenho rodando a 2,2 GHz baseado no Cortex-A73 e outro quad-core rodando a 1,6 GHz baseado no Cortex-A53. Os gráficos ficam por conta da Mali-G72 MP3 (triple-core), com 4 GB de memória RAM para completar o conjunto. O resultado final é um Android One 9.0 Pie que é capaz de rodar a grande maioria dos apps e jogos da Play Store sem travamentos ou lentidões.

São 128 GB de memória interna do tipo UFS (Universal File System), um pouco mais avançado (e rápido) do que comumente utilizado na grande maioria dos smartphones por aí. Conta com espaço de sobra, com 116 GB disponível para o usuário, o que é geralmente oferecido apenas pelo segmento top de linha. Além de, claro, suportar cartões microSD de até 1 TB, como já mencionamos.

Moto One Action: câmera

O grande diferencial do One Action é a presença de uma câmera dedicada para vídeos de ação. Ela conta com 16 megapixels, abertura f/1.8 e serve apenas para isso. Conta com estabilização eletrônica, encontrado em câmeras de ação como a GoPro, e funcionou muito bem em nossos testes, em especial em vídeos com 60 fps (em 1080p, já que ela não filma em 4K).

A estabilização é melhor do que esperávamos, ainda que a qualidade das imagens tenha decepcionado um pouco mesmo em situações com boa iluminação. Os vídeos gravados com o celular na vertical saem na horizontal e vice versa, o que ajuda na hora de utilizá-lo com apenas uma das mãos. De qualquer forma, sentimos falta de acessórios para fixá-lo para que o One Action atue realmente como uma câmera de ação.

HDR desativado.
Com HDR.

Temos que registrar aqui que o acesso à câmera de ação não é tão intuitivo, sendo uma opção dentro do modo de gravação. Não há um “minitutorial” de como acessá-la nem no software nem na caixa.

Da esquerda para a direito: sensor de profundidade (5 MP), câmera padrão (12 MP) e câmera de ação dedicada (16 MP)

A câmera principal tem 12 megapixels e abertura f/2.0, auxiliada por um sensor de profundidade de 5 megapixels e abertura f/2.2. As fotos são médias, sendo uma diminuição considerável de qualidade em relação ao One Vision e sua poderosa câmera de 48 megapixels.

Podemos dizer que é uma câmera de um modelo acessível dentro do segmento intermediário, o que é natural, já que o foco aqui é a câmera de ação. Temos também um flash em dois tons abaixo da câmera.

Temos uma câmera frontal tem 12 megapixels e se comporta muito bem, sendo melhor para o seu propósito do que a câmera principal. Tira selfies com excelente qualidade, assim como não decepciona na hora de gravar stories.

Moto One Action: bateria e extras

A bateria do One Action é exatamente a mesma do One Vision: 3500 mAh de capacidade. Ela é suficiente para passar um dia inteiro sem dificuldades, e o modelo que recebemos vem com um carregador de 10 watts (5V, 2A), além de um fone de ouvido intra-auricular com qualidade acima da média.

Agora vamos à (longa) lista de conectividade e extras: Wi-Fi ac, Bluetooth 5.0, rádio FM, NFC e GPS com GLONASS e GALILEO. Um kit bastante completo e atualizado, trazendo tudo o que é esperado de um modelo anunciado no segundo semestre de 2019.

Moto One Action: é bom?

O Motorola One Action é uma boa surpresa no mercado. Fabricantes raramente trazem algo de diferente, basicamente competindo em preço e especificações. A câmera de ação coloca o One Action em uma posição de vantagem, já que não há concorrentes para ele. Outro caso é a linha Moto Z, que vem os Moto Snaps, que também permanece sem concorrência nesse quesito.

Mais do que isso, é uma câmera que cumpre a finalidade prometida, mesmo sendo a primeira vez que um smartphone vem com esse diferencial. Temos as nossas ressalvas, naturalmente, como a capacidade de lidar com diferentes exposições de luz, além de não contar com acessórios específicos, mas está de acordo com o preço cobrado por ele.

E qual é o preço sugerido do One Action? R$ 1799, mais ou menos o que esperávamos, considerando os preços praticados no Brasil. Mais do que isso, faz sentido se considerarmos que ele é basicamente um “One Vision com câmera de ação”, sendo praticamente idêntico a ele em praticamente todos os outros quesitos. Afinal, é um aparelho capaz de atender à grande maioria dos usuários sem grandes problemas.

👍🏻🇧🇷 Loja confiável e entrega rápida 🇧🇷👍🏻
Moto One Action
Moto One Vision

Mas conte para nós: o que achou do One Action? Acredita que veremos concorrentes anunciando seus próprios aparelhos com câmeras de ação para concorrer com ele? Escreva para nós aqui nos comentários!

Vantagens

  • Câmera de ação como diferencial exclusivo;
  • Aparelho bem equilibrado;
  • Memória interna de 128 GB UFS;
  • Tela com qualidade acima da média (apesar do orifício).

Desvantagens

  • O sensor tem boa estabilização, mas pode ser melhorado;
  • Faltam acessórios compatíveis com o One Action;
  • O orifício da câmera frontal poderia ser menor.
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.