Moto G4 Plus: 5 motivos para NÃO comprar o novo aparelho da Lenovo

Por Adriano Ponte

A Lenovo, que agora é dona da Motorola, fez algum barulho para anunciar a quarta geração da linha Moto G. O intermediário mais amado (e talvez odiado) do Brasil ganha novos aparelhos, inclusive com uma versão “tunada” — o Moto G4 Plus. Se você ainda está desconfiado em relação a esta família, confira cinco razões pelas quais você não deve investir o seu suado dinheirinho neste aparelho.

1. Fora da proposta original

A linha Moto G chegou para o público brasileiro como uma chance de ter um bom intermediário custando bem menos de R$ 1 mil. Mas, como a felicidade sempre tem fim, o novo Moto G4 Plus chega às prateleiras custando quase R$ 1,5 mil. Apesar de ser um excelente aparelho e valer o quanto custa, não há como negar que a linha Moto G decolou para longe da sua proposta inicial acessível. É possível cogitar até mesmo uma lenta migração de linha para os intermediários-topo em lançamentos futuros, reduzindo ainda mais as opções de entrada-intermediários.

2. Alto-falante de qualidade duvidosa

Nem só de fones de ouvido vive a sociedade, afinal sempre há algum momento em que é mais conveniente e divertido usar os alto-falantes do seu aparelho. Para isso, o ideal é que eles apresentem um desempenho mínimo para garantir uma boa experiência de uso — e este deveria ser o foco do G4 Play para combinar com o seu mote de “vamos consumir mais conteúdo”.

Para a infelicidade dos apreciadores de música, temos apenas uma saída de som. E ela passa longe de ser perfeita, apresentando alguns problemas na reprodução de frequências mais intensas e volumes mais elevados.

3. Câmera frontal

Apesar do cuidado e da preocupação da Lenovo/Motorola em equipar o G4 Plus com um sensor de melhor rendimento na parte traseira, houve pouca atenção da companhia na hora de selecionar o dispositivo para equipar a câmera de selfie. Ela faz apenas o básico e deixa a desejar em basicamente todos os aspectos cruciais: quantidade de megapixels, definição e principalmente desempenho em ambientes pouco iluminados.

O que nos resta é a impressão de que o que sobra na parte de trás falta na parte frontal do Moto G4 Plus. Enfim, se as duas câmeras não poderiam apresentar desempenho igual, o ideal era que ao menos o embate entre ambas fosse mais equilibrado.

Moto G4 Plus

Nem tudo são flores no novo G4 Plus. (Foto: Reprodução)

4. Desempenho futuro

Testamos bastante o Moto G4 Plus aqui em nossa redação e não notamos lentidão nem travamentos. Contudo, a nossa experiência com smartphones nor permite ver quando a execução de um game ou a rotina de um aparelho acontece com folgas ou próxima do seu limite. Seja pelo desempenho ou pelas suas configuraçoes, dá para afirmar que o smartphone da Lenovo vai enfrentar com certa dificuldade os títulos vindourous que chegarem à Play Store.

Quem pretende ficar dois anos com o mesmo smartphone precisa lembrar que o G4 é um intermediário, ou seja, não sobra potência como pode parecer em um primeiro momento. É um bom aparelho e que hoje funciona apenas dentro do esperado, nada além disso.

5. NFC

Muitos nem se lembram dele, mas boa parte dos usuários se sentiu traída pela fabricante ao notar que o G4 Plus simplesmente ignora o recurso do NFC. Na prática, ainda não temos tanto suporte para esta tecnologia em nosso dia a dia, mas a grande questão é que este recurso está já deixando de se tornar um opcional para virar um item de série nos gadgets, tal qual o Bluetooth.

Além disso, é possível que vejamos, em breve, cada vez mais soluções de pagamentos via NFC usadas por bancos aqui no Brasil. Com isso, quem investiu em um Moto G4 Plus vai começar a dar falta deste recurso daqui a pouco.

E estes foram os cinco motivos para você não comprar o Moto G4 Plus. Não deixe de conferir nosso outro especial com cinco motivos para você comprar o Moto G4 Plus.