MIUI 12.5 é oficialmente anunciada com possibilidade de remover apps do sistema

MIUI 12.5 é oficialmente anunciada com possibilidade de remover apps do sistema

Por Felipe Junqueira | 08 de Fevereiro de 2021 às 11h59
Reprodução/Xiaomi

A Xiaomi apresentou a versão global do topo de linha Mi 11 nesta segunda-feira (8) e aproveitou para falar sobre a nova versão de sua interface, a MIUI 12.5. Já disponível em beta para alguns modelos, a atualização da skin está prevista para chegar ao mundo todo no segundo trimestre de 2021.

Entre as novidades do update estão a melhoria em uso de CPU, que além de entregar animações mais suaves também deve reduzir o consumo de energia, e a possibilidade de desinstalar aplicativos do sistema, com algumas poucas limitações — basicamente apenas apps cruciais para o bom funcionamento do celular não poderão ser apagados. Segundo a Xiaomi, aplicações que estão no núcleo do sistema poderão ser ocultadas.

A empresa não confirmou lista daqueles que poderão ser totalmente removidos ou ocultados, mas divulgou uma imagem exemplificando o recurso — os que estão dentro da linha pontilhada na figura abaixo podem ser deletados ou removidos, enquanto aqueles do lado de fora seguem intactos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Apps desinstaláveis na MIUI 12.5 estão dentro da linha pontilhada (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

Melhoria no uso da CPU

Segundo a Xiaomi, a nova versão da MIUI traz uma otimização no uso da CPU que reduz em até 22% o uso do componente e aumenta em até 15% a eficiência energética, garantindo mais tempo longe da tomada enquanto entrega bom desempenho. A empresa chama isso de “gráficos sem atrito”.

Explicando de maneira mais completa, a Xiaomi mudou a maneira como o sistema lida com gestos e outras tarefas de renderização, que antes eram feitos em uma só thread do processador e acabava causando uma espécie de uma fila de tarefas que competiam pelo uso da CPU.

Caption

Para corrigir o problema, a Xiaomi dedicou uma thread para os gestos, “para se certificar que nenhuma outra tarefa interfira e garantir resposta instantânea”. Ou seja, se essa otimização realmente der certo, aquelas pequenas travadas, sentidas principalmente em modelos mais simples, devem no mínimo diminuir bastante.

Mas ainda vai demorar para a MIUI 12.5 chegar aos celulares da empresa no Ocidente. Os primeiros modelos a receberem a MIUI 12.5 global são Mi 10T, Mi 10T Pro, Mi 10, Mi 10 Pro e Mi 11, todos com atualização prevista para o segundo trimestre de 2021. Posteriormente, a companhia pretende atualizar 11 outros dispositivos, ainda não listados.

Fonte: Xiaomi

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.