Mercado de smartphones fecha 2017 com queda de 5% pela primeira vez em 14 anos

Por Felipe Demartini | 22 de Fevereiro de 2018 às 11h09
photo_camera CNET

O mercado de smartphones encerrou 2017 com uma queda de 5,6%, a primeira a ser registrada pelo Gartner desde que começou a analisar os números desse setor, em 2004. De acordo com a empresa, foram 408 milhões de aparelhos vendidos entre os meses de outubro e dezembro do ano passado, contra 432 milhões de unidades no mesmo período do ano anterior.

A consultoria já vinha apontando para um desaquecimento dessa indústria há algum tempo, então a redução não soa como surpresa. Ainda assim, é interessante notar que ela aconteceu em um momento inusitado – o final do ano, época de aquecimento do mercado por conta das compras de Natal e da chegada de novos iPhones às prateleiras. Normalmente, é no primeiro trimestre que as vendas apresentam queda, mas desta vez esse movimento se adiantou um pouco.

Os motivos para isso, entretanto, são parecidos com os que já vinham sendo apontados como razão para a diminuição no ritmo do segmento. Os usuários soam cada vez menos impressionados com as novidades do mundo mobile, mantendo seus aparelhos atuais por mais tempo. Além disso, há de se levar em conta o preço alto do iPhone X, que apesar de ter chamado a atenção durante o final do ano passado, tem um valor que pode ter assustado muita gente.

Esgotamentos e dificuldades para se encontrar o novo modelo no lançamento também levaram a uma queda nas vendas não apenas do próprio iPhone X, mas também de seus irmãos menores. A consultoria observou uma redução no ritmo de troca de modelos antigos da Apple, até mesmo pela mais recente versão 8, mostrando que muita gente preferiu a edição repaginada do smartphone – não encontrando-a nas lojas – ou, então, seguiram adiante sem se importarem muito com as novidades da Maçã.

Além disso, o Gartner cita como um outro fator para a queda nas vendas uma diminuição no fluxo de lançamentos pelas mãos de fabricantes menores. No último trimestre do ano passado, houve baixa no segmento de smartphones de baixo custo, o que levou a menos vendas em países emergentes, um fator que se somou ao conservadorismo dos setores de alto e, principalmente, médio porte, que já estão de olho nas novidades de 2018 para, quem sabe, cogitarem uma troca de celular.

Apesar da situação de baixa, os grandes players desse mercado continuaram consolidados. A Samsung permanece na primeira posição do mercado de smartphones, apesar de uma redução de 3,6% nas vendas. Em segundo lugar está a Apple, com queda de 5% em seus números.

Por outro lado, empresas chinesas apresentaram crescimento no período. A Huawei, por exemplo, viu um aumento de 7,6% nas vendas (permanecendo na terceira colocação entre as maiores do setor), enquanto a Xiaomi comemorou um total de vendas 79% maior do que no ano anterior. Novos lançamentos realizados durante o período, assim como promoções no mercado asiático e a chegada a novos territórios, auxiliaram a alavancar os dados da empresa.

Apesar dos dados negativos, o Gartner aponta que não há motivo para pânico ou desesperança. Por mais que o quarto trimestre tenha sido de queda, o mercado de smartphones apresentou aumento de 2,7% nas vendas no acumulado do ano, com 1,5 bilhão de aparelhos comercializados em todo o mundo ao longo de 2017.

Seguimos, então, com a situação morna que já vem sendo apontada por analistas há alguns anos. Estamos falando de um mercado cada vez mais estabilizado, com altas e baixas sensíveis. Enquanto isso, a expectativa por grandes lançamentos permanece como grande potencial – quando as novidades não empolgam tanto, porém, o resultado também não é catastrófico.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.