Honor Play pode ser o primeiro smartphone com Fuchsia OS

Por Felipe Demartini | 23 de Novembro de 2018 às 10h19
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Honor Play

Ficha técnica

A Huawei pode ser a primeira parceria da Google a contar com um smartphone rodando o Fuchsia OS. Em menções no desenvolvimento de código aberto da plataforma, um engenheiro da fabricante afirmou ter sido capaz de dar boot no kernel do sistema operacional em um Honor Play, o modelo da fabricante asiática voltado para o público gamer.

A citação apareceu no ambiente colaborativo relacionado ao código-fonte da plataforma, no qual o representante da Huawei também afirma que o sistema operacional já é compatível com o chipset Kirin 970, o topo de linha da companhia. Com isso, acredita-se, estão abertas as primeiras portas para aplicação prática do Fuchsia OS em diversos outros smartphones da marca.

Entre os modelos que também utilizam o processador estão o P20, Mate 10, Honor Note 10 e outras variações de topos de linha já disponíveis no mercado global. Além disso, a menção de que o sistema operacional já poderia estar funcionando na versão atual do chipset pode ser um indicativo de que as novas versões dele também possam ser compatíveis, abrindo um caminho mais claro para a aplicação prática do Fuchsia OS.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O projeto é envolto em bastante segredo por parte da Google, que evita falar sobre o assunto. Os comentários sobre a nova plataforma, entretanto, datam do final de 2016 e falam de uma nova versão de sistema operacional da marca, que substituiria o Android e livraria a gigante da dependência de sistemas como o Linux e o Java, sendo criado do zero e de maneira totalmente dedicada às próprias soluções.

Outra ideia seria a de criar um sistema integrado e funcional, que rodasse tanto em smartphones de baixo porte até celulares de topo de linha e com tela gigante, além de tablets, notebooks e até dispositivos da Internet das Coisas. Com isso, a Google também garantiria menos fragmentação de sua plataforma e uma maior sinergia entre aparelhos de diferentes categorias, mais ou menos como acontece hoje com a família de gadgets da Apple, por exemplo.

Por se tratar de um projeto de alta complexidade e, claro, segredo, entende-se o silêncio quanto à divulgação de informações. É justamente isso o que torna a aparição da Huawei no ambiente de desenvolvimento do Fuchsia OS tão importante, já que, por conta dessa discrição toda, acreditava-se que a Google manteria os desenvolvimentos e os testes bem próximos de si.

Não que ela esteja indo tão longe assim com isso, uma vez que a Huawei é “de casa”, tendo trabalhado ao lado da gigante no lançamento do Nexus 6P. Mesmo assim, chama a atenção o fato de não ser este o modelo usado para testes e, mais do que isso, a notícia da execução bem-sucedida do kernel do Fuchsia OS em um aparelho já disponível no mercado consumidor. Pode levar algum tempo até que o sistema operacional chegue efetivamente às nossas mãos, mas, agora, ele se tornou, pelo menos, mais palpável, apesar de ainda ser um célebre desconhecido.

Fonte: 9to5Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.