Análise: Alcatel Pop C7 ainda está entre nós

Por Adriano Ponte
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

Apesar de lançado em abril de 2014, o Alcatel Pop C7 ainda pode ser encontrado à venda no comércio brasileiro em diversas lojas. Será que ele ainda vale a pena ser adquirido?

Não é um caso isolado: modelos anteriores de diversas fabricantes ainda podem ser encontrados em lojas brasileiras, seja pelo grande estoque ou por outros fatores, e alguns usuários realmente não têm problema em adquirir modelos com a versão do Android desatualizada.

Porém, se a versão do Android não importa, o acabamento, resistência e poder de fogo importam bastante. Leia, então, nesta análise mais detalhes do Pop C7 da Alcatel.

Usabilidade

A pegada do C7 é interessante. Sua traseira emborrachada (imitando couro costurado) não deixa que ele escorregue facilmente das mãos; some isso ao formato arredondado dos cantos e temos uma experiência confortável ao segurá-lo.

O tamanho do aparelho permite usá-lo com uma só mão sem grandes problemas, principalmente pelo fato de contar com teclas capacitivas na parte inferior.

O display oferece imagens comuns, com tons “mornos” de cor. Já o processamento entregue pelo conjunto do C7 pode não agradar a todos. Jogos pesados e tarefas complexas gerarão um pouco de lentidão no aparelho, que tem como uso indicado as redes sociais e apps de mensagem.

A versão defasada do Android presente no C7 não tem previsão para ser atualizada. Ao checar por novidades, o aparelho diz que está “atualizado”, portanto compre-o consciente de que ele ficará estacionado na versão 4.2 (Jelly Bean).

Câmeras

Apesar dos 8 MP oferecidos pela câmera frontal, a qualidade das imagens não impressiona. Há uma tendência forte das fotos produzidas ficarem “enevoadas” e opacas.

Porém, o sensor frontal consegue ser ainda mais inferior, já que sua resolução é VGA e isso já basta para termos uma noção da qualidade do que é capturado por lá.

Acessórios

Além do carregador de 1A, que carrega o C7 em cerca de duas horas, um cabo USB independente vem incluso no kit.

Um fone de ouvido inicial está presente no pacote, entregando resultados básicos (como fones iniciais geralmente costumam entregar).

Bateria

Contando com 1.900 mAh, o componente é capaz de fornecer energia o suficiente para chegar ao fim do dia sem transtornos, sendo esse mérito dado para a resolução mais baixa do display aliada ao processador mais modesto do aparelho.

Ficha técnica

  • Suporte Dual Chip;
  • Display LCD (TFT) de 5 polegadas, resolução de 480 x 854 pixels e 196ppi;
  • Android Jelly Bean (4.2), sem previsão de updates;
  • Processador Quad-core de 1,3 GHz;
  • Armazenamento interno de 4 GB com aproximadamente 1,72 GB de espaço livre para o usuário, 512 MB RAM e suporte a cartões microSD de até 32 GB;
  • Câmera traseira de 8 MP e frontal VGA;
  • Wi-Fi b/g/n, Bluetooth 4.0, GPS, 3G e Rádio FM;
  • Bateria de 1.900 mAh

Vale a pena?

O Pop C7 pode ser encontrado abaixo dos R$ 500 nas lojas brasileiras (até a data de fechamento desta matéria); um valor que normalmente era associado a aparelhos um pouco defasados ou com versões antigas do Android, porém, com a chegada do Redmi2 ao Brasil, isso mudou.

Pelo mesmo valor, é possível pegar um hardware mais recente e poderoso, além de um par de câmeras impressionante para a faixa de preço.

Se você buscava conhecer o Alcatel Pop C7 e agora pretende comprá-lo, procure uma boa promoção que o coloque consideravelmente abaixo do seu valor atual, já que pelo mesmo preço você consegue levar para casa outras opções com versões mais recentes do Android e chipset mais potente.