Mesmo com problemas de produção, iPhone 6 deve chegar em 19 de setembro

Por Redação | 25 de Junho de 2014 às 12h30

Uma operadora chinesa decidiu entrar no tsunami de rumores sobre o lançamento do iPhone 6, que deve chegar ao mercado ainda neste ano com uma tela maior, apesar de nada ter sido comentado pela Apple. Segundo um comunicado enviado pela Tencent a seus clientes, o próximo aparelho da Maçã chega às lojas da Europa no dia 19 de setembro, exatamente um ano depois de seu antecessor, o iPhone 5s, lançado em 2013.

De acordo com o Apple Insider, pode se tratar apenas de uma previsão, já que é precisa demais para ser uma informação divulgada dessa forma, antes de um evento oficial da Apple. Por outro lado, a data se encaixa no cronograma anual de lançamentos da marca, com novos smartphones chegando ao mercado em setembro, a tempo de se consolidarem no mercado antes da chegada da Black Friday e da temporada de Natal.

De acordo com os dados da Tencent, o aparelho será lançado em versões com 32 GB de armazenamento, por US$ 850 (cerca de 1870), ou 64 GB, que custarão US$ 1.000, mais ou menos R$ 2.200. Os valores, porém, são conversões da moeda chinesa e não necessariamente refletem os preços oficiais para os Estados Unidos.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Tencent é uma das principais operadoras de telefonia da China e, sendo assim, uma das grandes interessadas no lançamento do iPhone 6. O aparelho da Apple chegou recentemente ao mercado asiático com grande sucesso, movimentando o mercado mobile do país e gerando grandes dividendos para as empresas envolvidas. Agora, a expectativa é que o novo modelo repita esse sucesso e continue levando para o alto os gastos dos usuários com celulares de topo de linha.

O lançamento, apesar de bastante esperado, pode acabar não sendo nada tranquilo. Informações oriundas do território chinês indicam que a Apple estaria sofrendo com problemas de fabricação na carcaça traseira do aparelho, feita de metal. O caso teria levado a um reinício completo no processo de produção, o que acabaria se traduzindo em uma falta de aparelhos nas lojas durante o lançamento.

Como sempre se vê, a chegada de um novo iPhone ao mercado gera filas enormes e muitas pré-vendas, bem como clientes desesperados por um novo modelo. Uma falta de iPhone 6 no mercado poderia gerar um intenso mercado negro do celular, com os felizardos que conseguirem colocar as mãos em um revendendo o celular por altas somas de maneira informal, causando prejuízos à marca.

O problema estaria, justamente, no fato de a Apple estar alterando o tamanho padrão do iPhone, que agora deve ter tela de 4,7 polegadas, com pouco tempo para testes e implementações nas fábricas. O problema identificado estaria na junção entre as peças metálicas e plásticas, impedindo que a carcaça do aparelho fosse fechada.

Segundo as informações do site Digitimes, traduzidas do jornal chinês Economic Daily News, o problema estaria relacionado a uma falha no processo de anodização utilizado pela Catcher, que produz a parte traseira dos aparelhos. A alteração para resolução do problema seria bastante complexa e levaria, no mínimo, dois meses para ser realizada, o que permitiria à empresa se unir à fabricação do iPhone apenas depois de sua chegada às lojas.

Atrasar a chegada de um de seus principais produtos, porém, não é uma alternativa para a Apple que, na tentativa de circundar o problema, fez pedidos emergenciais a outros parceiros de produção, como a Foxconn e a Jabil. Mesmo assim, a expectativa é de que o aparelho chegue com poucas unidades ao mercado mundial, com uma demanda normalizada apenas nos últimos meses de 2014.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.