Google pode lançar Project Ara em janeiro de 2015

Por Redação | 16 de Abril de 2014 às 10h00

O Google revelou nesta terça-feira (15) que seu ambicioso projeto de smartphone modular chamado Project Ara chegará às lojas em janeiro do ano que vem e custará cerca de US$ 50.

O anúncio foi feito por Paul Emerenko, que está à frente do Ara, em uma reunião realizada com 200 participantes da primeira conferência da plataforma, no Museu de História da Computação.

Project Ara é o codinome do projeto de um smartphone modular, cuja idéia é que o usuário seja capaz de trocar cada peça do aparelho facilmente, com peças feitas em pequenos blocos, como um jogo de Lego. Ou seja, se você quer uma câmera melhor, basta trocar o bloco da câmera. Uma tela maior? Adicione mais blocos de telas. Ou também um processador mais potente e uma turbinada na memória RAM.

A idéia surgiu de dentro da divisão Advanced Technology and Projects (ATAP), que pertencia à Motorola mas que o Google manteve ao vender a empresa para a Lenovo. A divisão é comandada por Regina Dugan, que dirigia a DARPA, infame agência ultra secreta de pesquisas avançadas para uso militar.

Project Ara

O nome do aparelho será Gray Phone (telefone cinza), para que o usuário possa personalizá-lo como bem entender, e a equipe do projeto está trabalhando a todo o vapor com parceiros desde fabricantes de impressoras 3D a acadêmicos do MIT e Carnegie Mellon.

Os aparelhos usarão o Android, porém há um problema nisso: o sistema ainda não tem os drivers necessários para controlar componentes modulares. Mas, segundo Eremenko, o sistema estará pronto em dezembro e essa será uma das últimas tarefas da equipe do Ara.

Emerenko ainda teceu mais detalhes sobre os aspectos físicos do dispositivo. O chassis, peça principal que manterá os demais componentes unidos, durará de cinco a seis anos. Já os módulos serão fixados ao chassi utilizando eletroímãs permanentes que utilizarão um padrão de comunicação chamado UniPro.

Na conferência, o líder da equipe também mostrou todo o cronograma do projeto para que os usuários e desenvolvedores possam tomar as decisões e investimentos no tempo certo.

Outra conferência de desenvolvedores acontecerá em julho e uma terceira em setembro. O suporte ao barramento de energia chegará em maio e a maior parte das funções a nível de sistema deverão chegar em setembro. Já as certificações e o suporte pós-venda são esperados para novembro. A primeira unidade de teste da impressora 3D gigantesca que está sendo preparada para esse projeto estará pronta em agosto e um beta sairá em janeiro de 2015.

Emerenko ainda informou que ficará no projeto só até abril de 2015, prática comum na DARPA, para garantir um melhor funcionamento e dinamismo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.