Netflix defende Insatiable, série acusada de promover transtornos alimentares

Por Ares Saturno | 02 de Agosto de 2018 às 16h27
Tudo sobre

Netflix

A série adolescente Insatiable, da Netflix, sequer estreou e já está dando o que falar: internauas acusam a produção — e a Netflix, por tabela — de defender valores gordofóbicos e contribuir para agravamento de sintomas de transtornos alimentares. Os espectadores se indignaram, após divulgação do trailer promocional, com a abordagem engraçadinha na tentativa de fazer humor negro com a saúde alheia.

Durante um evento nesta semana, a vice-presidente de conteúdos originais da Netflix, Cindy Holland, falou à imprensa que a criadora de Insatiable, Lauren Gussis, tem um histórico pessoal de sofrimento com bullying e transtornos alimentares e que a abordagem por ela utilizada é "uma forma satírica e exagerada", mas que a mensagem geral de Insatiable é "sentir-se confortável consigo mesmo". Quando questionada sobre as críticas que surgiram após a exibição do trailer, Holland respondeu: "a crítica (contra gordofobia) está inserida na própria série", defendendo que a trama de Insatiable abordará de forma adequada as preocupações dos internautas e mostrará que não se trata de mera chacota com corpos gordos.

Cindy Holland aposta na estreia de Insatiable para findar as acusações de gordofobia (Foto: Reprodução / Getty Images)

A defesa de Holland parece se basear exclusivamente na confiança que a empresa tem que a série não vai causar danos à saúde de ninguém após sua estreia, agendada para o dia 10 de agosto. Entretanto, reações às declarações de Holland vindas de internautas no Twitter afirmam que o trailer já está desencadeando piora de sintomas em muitos usuários que lutam contra transtornos como anorexia e bulimia.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Gussis também tem se comportado de forma a aumentar a polêmica em torno da série. Em suas publicações no Twitter, o mesmo comportamento de deboche com hábitos alimentares, que tanto está causando incômodo em sua obra, aparece em uma postagem promocional de Insatiable, no dia 19 de julho. A criadora da série diz "Estou tão animada que poderia comer um bolo inteiro. Ao invés disso, estou compartilhando!", como pode ser visto na reprodução abaixo:

Em 11 de julho, Lauren Gussis já havia feito trocadilhos pouco criativos e gordofóbicos ao veicular material promocional de Insatiable sugerindo que as pessoas maratonassem a série utilizando o termo "binge", que é relacionado à compulsão patológica, presente em alguns transtornos alimentares, como a bulimia. Boa parte da preocupação geral com o conteúdo agressivo criado por Gussis é, justamente, agravar os sintomas de pessoas que sofrem de transtornos semelhantes, o que faz com que a declaração seja, no mínimo, de gosto questionável:

Em 20 de julho, uma nova publicação de Gussis trouxe uma captura de tela de um texto em inglês, com os dizeres "Essa é a minha verdade". O texto pode ser traduzido livremente da seguinte forma: "Quando eu tinha 13 anos, eu era suicida. Meus melhores amigos me abandonaram, eu sofria bullying e queria vingança. Eu achei que se eu parecesse bonita por fora, eu sentiria que era o suficiente. Ao invés disso, eu desenvolvi um transtorno alimentar... e o tipo de ódio que faz com que você queira fazer coisas ruins. Ainda não me sinto confortável na minha própria pele... mas estou tentando compartilhar meus sentimentos — compartilhar minha dor e vulnerabilidade através do humor. É só o meu jeito. A série é um conto cauteloso sobre como pode ser danoso acreditar que as aparências são mais importantes — julgar sem ir a fundo. Por favor, deem uma chance ao show". A publicação original pode ser vista na reprodução abaixo:

As explicações dadas por Gussis parecem ter irado ainda mais os já insatisfeitos internautas. Em resposta ao tweet, mais de 200 usuários questionaram a criadora como a abordagem debochada e reforçadora de estereótipos poderia ser qualquer coisa além de reprodução de gordofobia. Os usuários também pediram que Gussis agisse com mais responsabilidade quanto à saúde de espectadores que se incomodaram com o material.

Vale ressaltar que a conta utilizada por Lauren Gussis para promover Insatiable e se justificar frente às acusações de gordofobia no Twitter, foi criada em junho de 2018, posterior à polêmica. 

Fonte: Indie Wire, Daily Mail

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.