Estudo indica que série “13 Reasons Why” estimulou ideias suicidas entre jovens

Por Redação | 31 de Julho de 2017 às 14h49

De acordo com um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos, a polêmica série 13 Reasosn Why, exibida pela Netflix, acabou servindo como incentivo para que jovens alimentassem ideias suicidas por aí. As buscas na internet sobre formas de se matar cresceram 19% depois que a primeira temporada da série foi veiculada.

13rw estreou em 31 de março e, desde aquele dia, a discussão sobre depressão, bullying e suicídio vem tomando o mundo. De um lado, as pessoas têm debatido mais sobre o tema, o que favorece o esclarecimento e a derrubada de tabus, mas, de outro, há quem acredite que a produção romantizou a coisa toda, fazendo com que jovens, já vulneráveis, acabassem se incentivando a cometer suicídio e atos de auto-mutilação, em vez de procurarem ajuda.

Segundo John Ayers, epidemologista autor do estudo, que foi divulgado nesta segunda (31) em uma publicação científica da Associação Médica Americana, a pesquisa analisou um grande buscador da internet entre os dias 31 de março e 18 de abril, analisando o volume de buscas de 20 termos ligados a suicídio, como a própria palavra e outras expressões, como “como se matar”, “ideação suicida”, “prevenção ao suicídio” e “suicídio indolor”. O resultado, então, mostrou que o lançamento de 13 Reasons Why foi seguido por um aumento na busca por esses termos, incluindo “métodos para se matar”.

O estudo mostrou, ainda, que a maioria das pesquisas relacionadas se referia à ideação suicida, sendo que a busca por “como cometer suicídio” teve um aumento de 26% nas buscas depois que a série foi lançada. As expressões “cometer suicídio” e “como se matar” tiveram um aumento de 18% e 9% nas buscas, respectivamente, mas, por outro lado, termos que buscavam prevenção e ajuda para pessoas suicidas também foram mais buscados, com um aumento de 20%.

A responsabilidade da mídia

Apesar de a intenção da Netflix e seus produtores ter sido positiva quanto à série, mostrando o drama de Hannah Baker e o que a levou a tirar sua própria vida, a fim de que jovens se identificassem com sua história e não cometessem o mesmo erro, o estudo acredita que a prática do “binge watching” (que significa assistir compulsivamente a uma série), é algo que o serviço de streaming proporciona ao liberar uma temporada toda de uma só vez.

Sendo assim, os espectadores consomem aquele conteúdo sem pausas, sem poder debater a respeito por alguns dias até o próximo episódio, o que pode reforçar uma ideia pré-concebida de suicídio (no caso de 13rw). Tamanha imersão na história e em suas imagens fortes pode ter um efeito devastador em adolescentes, já que seus cérebros ainda estão no processo de desenvolver habilidades adultas, como a de conseguir inibir determinados sentimentos.

Portanto, a mídia, quando decide abordar temas sensíveis como o suicídio, precisa fazê-lo de maneira responsável. E talvez seja o que a Netflix pretenda com a segunda temporada de 13 Reasons Why, que abordará as consequências da decisão de Hannah na vida dos demais personagens.

Fonte: Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.