US$ 1,1 bilhão em criptomoedas foram roubados em 2021, aponta pesquisa

US$ 1,1 bilhão em criptomoedas foram roubados em 2021, aponta pesquisa

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 28 de Outubro de 2021 às 18h20
Divulgação/WorldSpectrum/Pixabay

As criptomoedas estão em alta, atingindo a marca de valor de mercado de US$ 2,5 trilhões (cerca de R$ 14,3 trilhões, na conversão atual) em 2021. Mas esse crescimento também faz com que criminosos comecem a mirar mais o setor dos criptoativos.

Segundo um levantamento realizado pela Atlas VPN, os três primeiros trimestres de 2021 registraram um volume maior de roubo de criptomoedas do que todo o ano passado. Foram 146 fraudes até setembro de 2021, contra 122 em 2020. Além disso, com a alta do mercado de criptoativos no início de outubro, os números devem aumentar até o final do ano.

Gráfico mostrando as quantias roubadas de criptomoedas em cada alvo. (Imagem: Reprodução/Atlas VPN)

Os valores roubados também cresceram em relação a outros períodos. A pesquisa afirma que, apenas no terceiro trimestre de 2021, US$ 1,13 bilhão (cerca de R$ 6,3 bilhões) foram adquiridos ilegalmente por invasores. Deste valor, cerca de US$ 800 milhões (R$ 4,4 bilhões) foram roubado de usuários ou aplicações da rede Ethereum, a partir de 20 ataques ao ecossistema. O levantamento ainda afirma que, dessa quantia vinda da Ethereum, US$ 610 milhões (R$ 3,4 bilhões) foram provenientes de um único ataque, sofrido pela Poly Network.

Outros ataques

As exchange de criptomoedas foram o segundo maior alvo dos criminosos, tendo cerca de US$ 114 milhões (R$ 640 milhões) roubados entre julho e setembro. Outras fraudes também foram detectadas, com perdas de quase US$ 90 milhões (R$ 500 milhões) em ataques a corretora japonesa Liquid, e de US$ 25,4 milhões (R$ 142 milhões) nos golpes sofridos pela rede EOS no decorrer do ano.

Além disso, outras 28 invasões de exchanges menores e lançamentos de criptomoedas falsas resultaram no roubo total de US$ 193 milhões (R$ 1,04 bilhão) no terceiro trimestre de 2021.

Os criminosos virtuais, para a realização destes golpes, exploram falhas de protocolos ou sistemas de segurança das várias corretoras ou blockchains. Além disso, eles também podem enganar diretamente os usuários, com táticas de engenharia social e phishing para roubo de credenciais. Caso você invista no mercado de criptomoedas, é bom estar sempre atento, como prevenção.

Fonte: Exame, Atlas VPN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.