Pagar resgate de ransomwares não dá garantia de recuperar dados, afirma pesquisa

Por Ramon de Souza | 09 de Março de 2018 às 16h14
Medium

Ser vítima de um ransomware — aqueles vírus que “sequestram” e criptografam os dados do computador — é uma situação um tanto desesperadora. No desespero por reaver documentos importantes, muitos indivíduos acabam perdendo a calma e decidem pagar a quantia requisitada pelos cibercriminosos para liberar a máquina. Contudo, uma nova pesquisa realizada pela empresa CyberEdge Group mostra que, na maioria das vezes, quem faz isso estará simplesmente jogando dinheiro fora.

Focando no mercado corporativo (que é o principal alvo desse tipo de malware), a companhia entrevistou quase 1,2 mil executivos de IT de 17 países diferentes. Dos participantes que sofreram com ataques de ransomwares ao longo de 2017, 61,3% optaram por não pagar o resgate (sendo que 8% deles perderam os dados para sempre e 53,3% conseguiram recuperar as informações usando backups ou ferramentas específicas para exterminar o script).

Dos 38,7% entrevistados que preferiram pagar a quantia solicitada, apenas 19,1% reaveram acesso aos computadores infectados. O restante (mais da metade) continuou sem seus arquivos — ou os criminosos simplesmente não enviaram instruções de como fazer o desbloqueio, ou tais ensinamentos eram falsos. No fim das contas, a pesquisa revelou que 27,6% das vítimas de ransomware perdem seus dados, pagando o resgate ou não.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Fonte: BleepingComputer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.