O que é um bloqueador de celular? Como funciona?

O que é um bloqueador de celular? Como funciona?

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 30 de Setembro de 2021 às 21h20
Reprodução/UpPhone

Ficar sem sinal no celular é uma experiência que todo cidadão dos tempos modernos já passou. Geralmente sendo uma sensação desesperada, a impossibilidade de usar a conexão 4G ou fazer ligações telefônicas pode atrapalhar muito a vida das pessoas.

Mas existem casos onde essas áreas sem sinal são intencionais, e acontecem pelo celular está em uma área onde os bloqueadores de sinais estão ativos. Embora esses dispositivos tenham comercialização proibida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), eles podem ser encontrados em várias lojas virtuais ao redor do Brasil.

Esses aparelhos são compactos e tem um raio de ação impressionante, com até os modelos mais baratos conseguindo inutilizar celulares que estejam até 25 metros de distância.

O funcionamento desses aparelhos é bem simples: emite sinais de alta intensidade que “poluem” a frequência de rádio usada por celulares, impedindo que eles se conectem e recebam dados de sua operadora telefônica.

Entendendo os bloqueadores

Exemplos de bloqueadores de sinais de celulares. (Imagem: Reprodução/PcMag)

Bloqueadores de sinal de celulares são equipamentos que afetam a frequência de sinais emitidos por telefones móveis, fazendo assim que eles parem de funcionar. Esses dispositivos atingem esse objetivo a partir da emissão de um sinal de frequência mais forte do que os emitidos por celulares, congestionando as linhas que estão ao redor do bloqueador e impedindo que aparelhos presentes na área de atuação dele possam se comunicar com outros aparelhos.

Os bloqueadores de celular, para serem efetivos, precisam emitir sinais de frequência de 850 MHz para bloquear as bandas 3G das principais operadoras do país. Também precisam emitir frequências de 1800 MHz para barrar as bandas 4G das mesmas prestadoras de serviços telefônicos.

Legislação

Os sistemas de bloqueio de sinais de celulares são regulamentados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e sua aplicação é restrita a presídios, cadeias e áreas de segurança. Hoje, cerca de 40 presídios no território nacional contam com variações desses dispositivos, sendo usados para o bloqueio das faixas de frequência utilizadas pelas operadoras móveis.

Porém, apesar de o uso em cadeias ser uma boa opção em termos de segurança pública, existem preocupações sobre o uso de bloqueadores e seu impacto para pessoas que moram perto das prisões, já que podem ocorrer casos onde uma implementação não cuidadosa do sistema pode fazer que o bloqueio também afete os moradores próximos, os impedindo de realizar atividades com seus celulares.

Nos EUA, a Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), é o órgão responsável pelas leis que regulam os bloqueadores de sinais. A instalação desse tipo de dispositivo e seu uso estão cobertos pelo Communications Act de 1934, lei federal ianque que proíbe as pessoas de “interferirem maliciosamente ou propositalmente na comunicação via rádio de qualquer estação licenciada ou autorizada”. A mesma diretriz também impede a produção, importação, venda ou oferta de venda de dispositivos projetados para atrapalhar transmissões.

As multas aplicadas nos EUA pelo uso de bloqueadores de celulares podem chegar em US$ 11 mil, e também podem resultar em prisão de até um ano para os condenados.

A França, por outro lado, tem uma abordagem um pouco diferente, permitindo o uso de bloqueadores de sinal em cinemas, salas de concerto e outros lugares onde espetáculos ou shows são realizados. Além disso, o país europeu está desenvolvendo tecnologias que permitam que o bloqueio seja furado por telefonemas de emergência.

Onde são usados

Abaixo, listamos exemplos de uso de bloqueadores de sinal de celulares, tanto na vida cotidiana quanto em operações de segurança:

  • Durante um sequestro, a polícia pode usar bloqueadores para controlar quando e onde o sequestrador pode fazer um telefonema;
  • A polícia pode bloquear os telefonemas durante uma operação de busca e apreensão, evitando que suspeitos se comuniquem com outras pessoas;
  • Os bloqueadores de celulares podem ser usados em locais onde sinais emitidos por celulares podem ser perigosos, como depósitos de produtos químicos;
  • Empresas podem usar os bloqueadores para evitar espionagem industrial, impedindo transmissões de dados pelos celulares;
  • Universidades na Itália usam bloqueadores para impedir que estudantes colem em provas, já que assim eles não podem compartilhar informações sobre os testes enquanto estiverem no campus.

Por fim, reforçamos que, no Brasil, o uso geral de bloqueadores de sinal de celulares é proibido por lei, com a multa para quem for pego fazendo uso desse dispositivo podendo chegar até R$ 36 mil.

Fonte: Kimovil, Mercado Espião

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.