Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 22 de Julho de 2021 às 18h30
Pixabay

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções de como resolver o problema — somente para descobrir logo depois que tudo não passa de um golpe destinado a roubar seus dados pessoais.

Ações criminosas do tipo são bastante comuns: uma pesquisa conduzida pela Microsoft mostra que 70% dos adultos consultados já foram expostos a algum tipo de golpe de suporte técnico. Segundo a empresa, isso representa 3% a mais do que o registrado em um estudo semelhante feito por ela em 2018; sendo que 29% das pessoas deram continuidade aos golpes, que resultaram em perdas financeiras para 7% dos alvos.

Apesar do número alto de exposições, a Microsoft relata que o estudo mostra uma queda geral no número de tentativas de golpe. Atualmente, a empresa recebe uma média de 6,5 mil reclamações mensais sobre assistências técnicas falsas, o que representa uma baixa considerável em relação às 13 mil reclamações mensais recebidas em anos anteriores.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Divulgação/Mohamed Hassan/Pixabay

No caso brasileiro, a Microsoft acredita que as agências de proteção ao consumidor foram responsáveis por ajudar a proteger contra os golpes de suporte técnico. Enquanto seja menos provável que os clientes atuais confiem em contatos não solicitados, o estudo conduzido em parceria com a YouGov mostra que millienials (nascidos entre 1981 e 1996) tendem a confiar mais nas mensagens anônimas do que outras gerações; por isso, vale sempre redobrar o cuidado com essas situações.

De acordo com o levantamento, o resultado nacional aponta que essa geração de usuários, em especial, sempre acha que está ciente dos riscos e golpes porque vem lidando computadores e navegando pela internet desde os primórdios das máquinas e da web. Esse "excesso de confiança" acaba gerando participação em atividades mais arriscadas. E essa tendência não se resume apenas aos brasileiros; afetam, principalmente, internautas do gênero masculino que usam sites de torrent e compartilham conteúdos por mensagens de e-mail.

Golpes estão mais sofisticados

Segundo a Microsoft, os golpes de suporte técnico estão ficando mais sofisticados e se aproveitando da transformação digital para fazer novas vítimas. Se antes eles eram realizados por ligações telefônicas, agora contam com táticas complexas, que misturam mensagens de e-mail, pop-ups e até mesmo call centers fraudulentos, para convencer as pessoas de que elas estão falando com empresas legítimas.

Imagem: Divulgação/CandyBoxImages/Depositphotos

“Vivemos em constante evolução tecnológica e a fraude de suporte técnico não é exceção. Não enfrentamos mais apenas ligações fraudulentas, mas também uma infraestrutura mais sofisticada que aproveita os vendedores parceiros para implantar pop-ups de aparência legítima para os consumidores, levando-os a se comunicarem com call centers fraudulentos”, explica Victoria Beckman, líder da Unidade de Crimes Digitais (DCU) para as Américas da Microsoft.

Além de roubar informações pessoais, os golpistas também buscam pagamentos em dinheiro e muitas vezes vitimam diversas vezes o mesmo alvo. Em alguns casos, os bandidos instalam malwares nos computadores, permitindo a eles manter o acesso remoto a documentos confidenciais e atividades sensíveis.

Para ajudar a combater os golpes, a Microsoft realiza investigações constantes contra redes de fraude e de suporte técnico, encaminhando os casos encontrados para a aplicação correta da lei. A empresa também aposta na conscientização de usuários e em programas de treinamento que ajudem a detectar atividades suspeitas, interrompendo qualquer contato antes de os alvos se transformarem em vítimas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.