Inteligência artificial e machine learning serão as armas dos hackers em 2018

Por Redação | 08 de Dezembro de 2017 às 15h07
photo_camera Business Insider

Se até agora os usuários de computares e web conheciam apenas as invasões por meio de trojan e outros métodos semelhantes, 2018 promete trazer uma surpresa não muito boa.

O cibercriminosos vão aumentar seu cardápio e agir cada vez mais utilizando inteligência artificial e machine learning para atacar computadores e dispositivos conectados à internet.

Essa é a conclusão de uma análise feita pela Symantec, empresa especializada em segurança digital.

E não é só isso. As habilidades dos hackers aumentam à medida que as tecnologias ficam mais populares e comuns nas casas das pessoas. 

Por isso, há boas chances de crescimento de um tipo de crime: aquele em que dispositivos da Internet das Coisas (IoT) são sequestrados por meio de ataques de DDoS — essa manobra torna os aparelhos indisponíveis para seus usuários, que só podem ser comandados por quem os hackeou.

Comportamento decisivo

Esse cenário permite dizer, segundo os especialistas da Symantec, que 2018 será o ano em que haverá uma batalha do tipo IA x IA.

A avaliação da empresa de segurança cibernética passa pelo comportamento dos usuários, que não percebem o potencial de perigo dos dispositivos IoT. Ao deixar as configurações de segurança no modo padrão, sem atualização, eles facilitam os ataques criminosos.

Fonte: Gadgets 360

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.