Google reúne dados sobre a saúde de milhões de norte-americanos sem avisá-los

Por Fidel Forato | 11 de Novembro de 2019 às 19h50
9to5google
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

O Google pode estar de olho em seu histórico completo de saúde, principalmente se você for um cidadão norte-americano, de acordo com as denúncias do projeto secreto Nightingale, divulgadas pelo The Wall Street Journal. Milhões de cidadãos de em 21 estados podem ter seus dados pessoais analisados (e eventualmente hackeados) com a parceria inédita entre a gigante da tecnologia e um dos maiores sistemas de saúde dos EUA, a organização Ascension.

A parceira tem aberto arquivos dos cidadãos para análise desde o ano passado. Os dados envolvidos no projeto Nightingale são resultados de laboratórios, diagnósticos médicos e registros de hospitalização, que equivalem a um histórico completo de saúde, incluindo a identificação do paciente com seu nome e sua data de nascimento. No entanto, nem pacientes e nem médicos foram notificados da inciativa até o momento. Estima-se que pelo menos 150 funcionários do Google já tenham acesso a esses arquivos, de acordo com uma fonte interna.

Questões internas

Diante dos embates tecnológicos e éticos do compartilhamento desses dados pessoais, sem o conhecimento dos envolvidos, alguns funcionários da Ascension levantaram esses pontos internamente, mas especialistas legais em privacidade disseram que essa prática é permitida pelas leis federais.

Google acessa dados de saúde de milhões de americanos

Segundo a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (HIPAA), de 1996, é permitido que hospitais compartilhem seus dados com parceiros de negócios, sem avisar os pacientes, desde que as informações sejam usadas "apenas para ajudar a entidade coberta a desempenhar suas funções de assistência médica". Segundo os relatos, o Google usa os dados para projetar um novo software com inteligência artificial (IA) avançada, focado individualmente em cada paciente para sugerir cuidados específicos e atendimento personalizado.

Quando questionado, um porta-voz do Google disse que o projeto é totalmente compatível com a lei federal de saúde e inclui proteções robustas para dados de pacientes. Já o porta-voz da Ascension ainda não comentou o assunto.

Diferentes objetivos por trás da iniciativa

O Google vem investindo no projeto Nightingale, sem cobrar nada pelo trabalho. Isso porque a empresa espera usar a estrutura desenvolvida para vender produtos similares a outros sistemas de saúde. O objetivo é criar uma ferramenta de pesquisa eficiente para agregar diferentes dados de pacientes e os hospedar tudo em um só lugar, segundo os documentos.

Com a parceria, a Ascension procura melhorar o atendimento e a experiência do paciente. A companhia também deve extrair das pesquisas mais dados para solicitar exames ou procedimentos, além de desenvolver um sistema mais eficiente do que sua rede eletrônica descentralizada de manutenção de registros.

Fonte: The Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.