Facebook vai dar bônus para compensar atraso em pagamentos de caçadores de bugs

Facebook vai dar bônus para compensar atraso em pagamentos de caçadores de bugs

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 13 de Julho de 2021 às 19h30

Uma das maiores redes sociais do mundo, o Facebook possui um sistema que paga caçadores de bugs pela descoberta de falhas que possam comprometer a segurança de seus usuários. No entanto, nem sempre a empresa é capaz de atender todos os participantes com rapidez, motivo pela qual ela anunciou um novo sistema de bônus baseado em seu tempo de resposta.

Na prática, quanto mais tempo uma contribuição demorar para ser analisada, reproduzida e corrigida, mais o responsável por sua descoberta vai receber. A companhia pretende oferecer um adicional de até 10% sobre o valor que seria pago normalmente como uma recompensa pela paciência dos participantes.

“Enquanto queremos ser minuciosos em nossa triagem, entendemos que esperar por uma decisão generosa pode ser frustrante”, afirmou o Facebook em um comunicado. Com a decisão, a companhia também pretende incentivar que os relatos enviados a ela se tornem mais completos e tragam instruções mais detalhadas sobre como reproduzir as falhas encontradas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Veja como funciona o novo sistema de bônus:

  • 5% de bônus para pagamentos feitos após 30 dias, mas antes de 60 dias, do relato ser registrado;
  • 7,5% de bônus para pagamentos feitos após 60 dias, mas antes de 90 dias;
  • 10% pagamentos feitos após 90 dias (ou mais).

Segundo a empresa, o maior bônus deve ser atribuído em ritmo mais pontual, visto que ele está relacionado a tipos de ameaça mais raros e complexos de analisar e solucionar. “O tempo é calculado a partir do momento em que o último detalhe requisitado para uma reprodução bem-sucedida e o impacto inicial estimado é enviado pelo pesquisador”, explica a rede social.

Caso um relato de bug exija que novos comentários sejam feitos, o contador de tempo vai ser ajustado conforme o necessário. Em uma publicação realizada em novembro de 2020, o Facebook afirmou que desde 2011 já pagou mais de US$ 11,7 milhões (R$ 60 milhões) em recompensas e que mais de 50 mil pesquisadores de 107 países já participaram do programa, sendo que 1,5 mil deles já receberam pagamentos por suas contribuições.

Fonte: Facebook

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.