Desenvolvedores podem ler o conteúdo do seu Gmail, revela artigo

Por Jessica Pinheiro | 03 de Julho de 2018 às 09h55
Marketing Land
Tudo sobre

Google

Um novo artigo publicado no Wall Street Journal na segunda-feira (2) afirma que a Google continua permitindo que desenvolvedores de software externos analisem as caixas de entradas de milhões de usuários do Gmail. Os acessos são concedidos a partir de serviços nos quais as pessoas se inscreveram para receber notificações e/ou promoções automáticas diretamente em duas contas de e-mails.

Ao que parece, os desenvolvedores que fazem parte desse esquema da Google podem ler esses e-mails automatizados para criar novos serviços ou recursos para o aplicativo. A leitura é feita eletronicamente pelo software do computador, mas, em alguns casos, a análise também pode ser feita por um funcionário humano.

Um dos exemplos citados lista a Return Path, voltada a analisar e-mails à procura de dados que sejam interessantes para profissionais de marketing. Essa companhia já examinou a caixa de entrada de mais de 2 milhões de usuários do Gmail, sendo que oito mil desses foram selecionados para serem lidos por funcionários humanos. Outras empresas do segmento, e também fabricantes de aplicativos, também estão obtendo esse mesmo acesso.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Antes de acender as tochas, é preciso ressaltar que o buraco, porém, é ainda mais embaixo, com a Microsoft e a Oath Communications da Verizon concedendo esse mesmo tipo de permissão a companhias parceiras. O acesso às caixas de entradas dos usuários, em casos mais específicos, requer consentimento dos usuários, todavia.

A matéria prossegue com depoimentos de funcionários atuais e antigos, os quais relatam que a prática de ler e-mails de usuários se tornou, infelizmente, comum na indústria. De acordo com a própria Google, contudo, eles apenas leem e-mails em casos estritamente singulares, e também se a pessoa conceder acesso, ou em casos em que é necessária a leitura para fins de segurança ou investigação de um bug ou abuso. Ainda segundo a gigante de tecnologia, qualquer um pode revogar o acesso ao aplicativo a qualquer momento.

Fonte: Apple Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.