Brasil tem uma tentativa de fraude a cada sete segundos

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada sete segundos

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 08 de Novembro de 2021 às 13h10
mohamed Hassan/Pixabay

O mês de setembro registrou um aumento de 22% no número de tentativas de golpe no Brasil, com uma ocorrência desse tipo acontecendo a cada sete segundos. Os números são de um indicador de fraudes da Serasa Experian, que apontaram 3,1 milhões de ocorrências no último mês e um crescimento a se considerar na comparação com o mesmo período do ano passado.

O cenário das fraudes no Brasil também tem endereço claro. De acordo com o levantamento, 57% dos ataques registrados foram focados no setor de bancos e cartões, enquanto pouco mais de um terço deles foi voltado a uma faixa etária mais avançada. De acordo com a Serasa, foram 1,1 milhões de casos apenas contra brasileiros dos 36 a 50 anos, que, em teoria, seriam os alvos mais lucrativos das fraudes bancárias.

Contrariando o que poderia se esperar, os idosos não aparecem na segunda colocação entre os principais focos dos criminosos. Lá estão os cidadãos entre 26 e 35 anos, com 855 mil casos; os mais velhos, acima dos 60 anos, aparecem apenas no quarto lugar, com 354 mil, e ainda atrás da faixa dos 51 a 60 anos de idade, com 441 mil fraudes registradas.

Quase todas as regiões do Brasil apresentaram crescimento próximo do nacional. O maior aumento foi registrado no Nordeste, com 26,7%, seguido de perto pelo Norte, com 24,1%. Centro-Oeste e Sudeste tiveram movimento semelhante, com altas de 22,2% e 22%, enquanto o único com patamar mais baixo foi o Sul. Lá, porém, nada de tranquilidade, já que o incremento no número de tentativas de fraude foi de 17,4%.

Os números não acompanham uma estimativa de quantos destes golpes foram bem-sucedidos, mas o crescimento cada vez maior mostra que o crime, nessa categoria, pode estar compensando. Enquanto a temporada de aquecimento nas compras começa a chegar, com a Black Friday e o Natal, a digitalização do sistema bancário e o maior uso de aplicativos e soluções digitais são citados por especialistas como os principais motivos para esse crescimento.

A atenção e os cuidados são as principais ferramentas para evitar ser vitimado por esse tipo de ataque. Ficar de olho em links que cheguem por e-mail ou apps de mensagem, bem como em ligações exigindo dados, são bons caminhos; o cliente nunca deve passar senhas, informações ou códigos recebidos a supostos atendentes, já que os serviços legítimos não exigirão nada disso.

O uso de senhas fortes, que devem ser únicas em cada serviço, e a instalação de softwares de segurança são essenciais, assim como a aplicação de atualizações em apps e sistemas operacionais. Por fim, vale a pena manter o controle em extratos e manter as notificações de aplicativos financeiros ativadas, de forma a identificar rapidamente as compras ou movimentações suspeitas, para que possam ser bloqueadas junto com qualquer acesso não autorizado.

Fonte: UOL Tilt

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.