Apple é processada por violar privacidade em falha da Siri

Apple é processada por violar privacidade em falha da Siri

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 02 de Setembro de 2021 às 21h30
Apple

A gravação rotineira de conversas pela assistente de voz Siri, da Apple, tem rendido processos à companhia. Agora, a empresa terá de responder a uma ação coletiva de 2019 que acusa a ajudante digital de violar a privacidade dos usuários.

Os requerentes podem tentar provar que a ‌Siri‌ gravava conversas privadas rotineiramente. Isso teria ocorrido em razão de ativações acidentais e, segundo o documento, a Apple divulgou esses diálogos a terceiros, como anunciantes.

Imagem: Reprodução/Unsplash/Miguel Tomás

Um dos participantes da ação diz que, depois de conversar com um médico sobre um tratamento, passou a receber anúncios de um produto relacionado ao diálogo. Outros contam que, após diálogos sobre o tênis Air Jordan, os óculos de sol Pit Viper e os restaurantes Olive Garden, receberam propagandas relacionadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Não há evidência de que a Apple cedeu esse material a anunciantes. Já faz tempo, no entanto, que os usuários acusam as redes sociais de ouvirem suas conversas e usá-las para fins de publicidade; mas isso nunca foi provado.

A Apple já se viu envolvida em um escândalo com a Siri em 2019 depois que revelou que alguns de seus prestadores de serviços ouviam as gravações feitas pela assistente. Eles haviam ouvido diálogos sobre negociações de drogas, informação médica, e outros assuntos, após a ativação acidental do sistema.

A análise humana das gravações da ‌Siri‌ nunca foi segredo, mas os termos de privacidade da Apple não deixavam claro que terceiros poderiam ouvi-las. Recentemente, a Maçã adicionou opções para apagar os registros e impedir que sejam ouvidos.

Imagem: Divulgação/Apple

No iOS 15, a maioria dos pedidos à Siri‌ passou a ser tratada no aparelho — ou seja, o conteúdo não estaria sendo enviado aos servidores para ser processado. Os requerentes da ação podem alegar que a Apple desrespeitou a Lei de Privacidade das Comunicações Eletrônicas dos EUA, que é federal; e a Lei de Privacidade estadual da Califórnia, além de ter violado o contrato. A ação pede US$ 5 mil para cada infração da companhia.

Em julho deste ano, outro juiz na Califórnia disse que usuários do Google Assistente poderiam seguir com um processo similar contra o Google. A Amazon está envolvida em uma ação semelhante relacionada à assistente de voz Alexa.

Fonte: Reuters via Terra, MacRumors

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.