Aplicativo golpista troca de nome e retorna à App Store

Por Nathan Vieira | 07 de Agosto de 2019 às 14h15

Em 2018, os usuários de produtos da Apple tiveram dor de cabeça com um aplicativo golpista, disfarçado de medidor de batimentos cardíacos. Na época, depois de denúncias por parte dos usuários, que chegaram a perder mais de R$ 300 no golpe, o app foi removido da App Store. No entanto, na última terça (6), um internauta relatou ao canal Mac Magazine que o golpista estava disponível na plataforma de aplicativos da Apple, agora com outro nome.

Aplicativo mudou toda a identidade antes de retornar aos anúncios do YouTube e à App Store (Foto: Mac Magazine)

Além de ter retornado para a App Store, o aplicativo que agora atende por Pulso.Batimento Cardíaco também está sendo anunciado no YouTube, o que representa um verdadeiro risco aos usuários desinformados.

A técnica de extorsão

App pede para que o usuário coloque o dedo no botão de início no iPhone para fazer a extorsão (Foto: Reprodução/YouTube)

O golpe do aplicativo funciona da seguinte maneira: o aplicativo orienta o usuário a colocar o dedo no botão de início do iPhone para que possa ser feita a medição dos batimentos cardíacos. Assim que o usuário pressiona o dedo, o app faz com que o brilho da tela do smartphone fique no mínimo, com a intenção de que a vítima do golpe não consiga ver o que vem a seguir. Então, aparece um aviso para que o usuário adquira a versão premium do aplicativo, que custa R$ 340. Com o dedo pressionado e sem enxergar esse anúncio da versão premium, a pessoa acaba ativando o Touch ID automaticamente, fazendo assim com que a compra interna seja registrada sem problema nenhum.

A técnica é a mesma utilizada anteriormente, enquanto o app ainda tinha o nome de Medição de Frequência Cardíaca. Além disso, o usuário pode perceber que o app continua a "medir" os batimentos cardíacos mesmo que não mantenha o dedo pressionado o botão de início do iPhone. Para ter o dinheiro de volta, o usuário precisa entrar na página de assinatura da Apple para cancelar. Isso deve ser feito em no máximo 24 horas depois do ocorrido.

Fonte: Mac Magazine

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.