Pesquisa: 82% das pessoas usam seu próprio laptop no trabalho

Por Redação | 22 de Novembro de 2012 às 15h35

Uma pesquisa conduzida pela ESET, empresa fornecedora de soluções de segurança da informação, aponta que a tendência de que os profissionais utilizem computadores e dispositivos móveis pessoais no ambiente de trabalho já é uma realidade na América Latina. De acordo com o estudo, 82% dos entrevistados afirmam que usam seu notebook pessoal no ambiente de trabalho, 55% utilizam o smartphone, 25% o tablet e 17,8% os tocadores de MP3.

Segundo os especialistas, tal tendência promete aumentar a produtividade e reduzir custos para as empresas. Em contrapartida, o hábito cria novos riscos à segurança da informação, como a exposição da rede corporativa a malwares, o roubo ou extravio de informações sensíveis, ataques de phishing e spam, entre outros.

"Esse conceito de os usuários utilizarem seus próprios equipamentos no ambiente de trabalho é um caminho sem volta. No entanto, as empresas precisam criar políticas no sentido de minimizar riscos potenciais à segurança da informação", diz Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET Brasil. “Não se trata de proibir o uso de equipamentos pessoais no ambiente profissional, mas é necessário que as empresas analisem os riscos a que estão expostas com essa modalidade e tenham regras e tecnologias adequadas para evitar que isso abra brechas para ataques à segurança e vazamentos de informações”, acrescenta.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os principais riscos a que as empresas estão expostas (quando os funcionários utilizam seus próprios dispositivos no ambiente de trabalho) foram definidos pelos especialistas:

  • Roubo de informações: pela falta de controle sobre os equipamentos pessoais utilizados no ambiente de trabalho, o risco de roubo ou vazamento de informações sensíveis aumenta consideravelmente.
  • Gestão de segurança: as empresas têm mais dificuldade para controlar a segurança dos dispositivos conectados à rede, o que aumenta os riscos de ataques, invasões e contaminação.
  • Malware: há também um aumento no risco de invasão e infecção da rede corporativa por códigos maliciosos.
  • Suporte técnico: se o equipamento apresentar defeito ou algum problema, mesmo quando estiver sendo utilizado para tarefas profissionais, a equipe de TI não poderá garantir a manutenção e o suporte técnico.

É preciso educar os funcionários a respeito de questões críticas como segurança de rede, utilização de firewall no sistema operacional e cuidados com dados sensíveis da empresa, pois os arquivos corporativos ficam armazenados no computador pessoal dos funcionários, o que constitui risco à segurança de dados de clientes ou de informações importantes ou confidenciais de uma empresa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.