Xangai planeja aliviar lockdown mesmo com alta de casos de covid-19

Xangai planeja aliviar lockdown mesmo com alta de casos de covid-19

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 11 de Abril de 2022 às 19h30
FabrikaPhoto/Envato

A China tem confinado uma parcela da população por conta do alto número de casos de covid-19, mas nesta segunda (11) as autoridades de Xangai anunciaram os planos de aliviar o lockdown em algumas áreas, em contraste com o recorde de novos casos: 914 sintomáticos e 25.173 assintomáticos. No sábado, as autoridades relataram 1.006 casos com sintomas e 23.937 sem.

Com o alívio da restrição, alguns bairros específicos que não tiverem casos positivos para covid-19 há pelo menos duas semanas podem deixar o lockdown para trás. Mesmo assim, os moradores desses bairros não podem viajar para aqueles que ainda estão restritos.

Diversos relatos sobre o revés da rígida restrição circulam nas redes sociais da China, acerca de falta de acesso a recursos médicos e a serviços de transporte em ocasiões de emergência, por exemplo. A luta para comprar alimentos também tem feito parte do cotidiano dos habitantes de Xangai, em meio a uma correria para estocar mercadorias.

Xangai planeja aliviar lockdown mesmo com alta de casos de covid-19 (Imagem: Vladimirzotov/Envato Elements)

Xangai está fechada desde 28 de março, levando seus 26 milhões de habitantes a ficar em casa. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, chegou a afirmarque as políticas antiepidêmicas do país "são eficazes, baseadas na ciência", e declarou-se "totalmente confiantes de que Xangai e outros lugares na China prevalecerão sobre a nova onda da epidemia".

A situação em Xangai também levou outras cidades chinesas a seguirem um caminho parecido: a cidade de Guangzhou, por exemplo, cancelou as aulas presenciais e aderiu ao estudo à distância. No entanto, especialistas torcem o nariz para as decisões do governo chinês para prevenir e controlar o surto de covid-19 na metrópole.

Fonte: The Guardian (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.