Variante Delta faz covid-19 avançar em Israel, país modelo em imunizações

Variante Delta faz covid-19 avançar em Israel, país modelo em imunizações

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 20 de Setembro de 2021 às 15h25
Freepik/tawatchai07

Nesse momento, Israel tem sido um verdadeiro exemplo mundial de vacinação contra a covid-19. No fim de fevereiro, 50% da população israelense já havia tomado pelo menos uma dose da vacina, e atualmente, 63% da população israelense se encontra totalmente imunizada. Entretanto, o país vem enfrentando um aumento no número de casos da doença, mesmo em meio a esse cenário. A questão que fica é: por que isso tem acontecido?

Uma das principais causas apontadas pelos especialistas é a variante Delta, que por ser mais infecciosa, acaba afetando o nível de proteção da vacina (embora o imunizante continue sendo altamente eficaz contra a forma mais grave da doença, ainda assim).

Os cientistas também mencionam a queda da imunidade gerada pela vacina da Pfizer, inicialmente o único imunizante administrado no país. O nível de proteção individual é de 30% a 40% de cinco a seis meses após a vacinação, comparado com a proteção de mais de 90% logo após a vacinação. Vale ressaltar que, apesar dessa queda, a vacinação ainda previne um número significativo de casos graves.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: kjpargeter/Freepik)

Segundo levantamentos, quase 60% das hospitalizações em Israel são de pessoas totalmente vacinadas. Outro fator mencionado pelos especialistas é a rapidez com que Israel interrompeu as medidas restritivas para controlar a pandemia. Mas a situação em Israel pode mudar em breve, uma vez que uma terceira dose foi oferecida para a população.

Em suma, os cientistas acham que a exposição repetida à infecção por covid-19 pode com o tempo transformar o vírus em uma doença potencialmente recorrente, mas com poucos efeitos graves.

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.