Vacina da AstraZeneca é eficaz em idosos, mesmo contra variante Gama (P.1)

Vacina da AstraZeneca é eficaz em idosos, mesmo contra variante Gama (P.1)

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 26 de Julho de 2021 às 12h15
Lucigerma/Envato Elements

Um novo estudo aponta que a vacina Covishield (AstraZeneca/Oxford) é eficaz contra a variante Gama (P.1) do coronavírus SARS-CoV-2 em pessoas com mais de 60 anos. Esta variante do vírus da COVID-19 foi descoberta pela primeira vez em Manaus, no Amazonas, e ainda é predominante entre os novos casos da infecção no Brasil. A eficácia do imunizante foi de 93,6% contra óbitos em idosos, quando aplicadas as duas doses.

Publicado na plataforma MedRxiv, o preprint — artigo sem revisão por pares — foi desenvolvido por um grupo de pesquisadores de diferentes países, incluindo membros da Universidade da Flórida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade de Brasília (UnB). No caso brasileiro, o estudo ainda é assinado pelo pesquisador Jean Carlo Gorinchteyn, atual secretario de Saúde do Estado de São Paulo.

Vacina da AstraZeneca/Oxford tem eficácia de 93,6% contra óbitos em caso de infecção da variante Gama (Imagem: Reprodução/Rido81/Envato Elements)

Eficácia da AstraZeneca em maiores de 60 anos

No levantamento, foram incluídos dados médicos de 61.164 pessoas, com mais de 60 anos. Este total de voluntários foi dividido em diferentes grupos, durante a análise, para verificar a eficácia da vacina da AstraZeneca/Oxford contra a variante Gama do coronavírus.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Após 28 dias da aplicação da primeira dose, a fórmula apresentou uma eficácia de apenas 33,4% contra a COVID-19 sintomática, podendo variar de 26,4% e 39,7%, dependendo da idade do imunizado. Nesse mesmo intervalo, a eficácia foi de 55,1% contra hospitalizações, variando entre 46,6% e 62,2%. Além disso, a fórmula impediu que 61,8% (48,9%-71,4%) dos imunizados parcialmente falecessem em decorrência da doença.

Agora, o cenário melhora de forma significativa, quando se observa os dados daqueles que receberam as duas doses do imunizante e aguardaram duas semanas. Nesse cenário, a eficácia contra a COVID-19 sobe para: 77,9% (69,2%-84,2); 87,6% contra hospitalizações (78,2%-92,9%); e 93,6% contra o óbito (81,9%-97,7%).

"Não tínhamos muitos dados para essa população acima de 60 anos com a [variante] Gama. Tínhamos poucos dados com essa variante, restritos a uma dose no Canadá. Então, é importante a gente entender se as vacinas estão funcionando", comentou Julio Croda, infectologista da Fiocruz e um dos autores do estudo, para o G1.

Para acessar o estudo completo sobre a vacina da AstraZeneca/Oxford contra a variante Gama em idosos, pulicado na plataforma MedRxiv, clique aqui.

Fonte: G1  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.