USP faz alerta após técnica ser infectada pela segunda vez por coronavírus

USP faz alerta após técnica ser infectada pela segunda vez por coronavírus

Por Nathan Vieira | 06 de Agosto de 2020 às 15h53
CDC/Unsplash

Na última quinta-feira (5), o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) divulgou um estudo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP) que confirmou a possibilidade de reinfecção pelo SARS-CoV-2, vírus causador da COVID-19, que tem preocupado tanto a população mundial.

O que acontece é que os pesquisadores identificaram a recorrência da doença em uma técnica de enfermagem de 24 anos, que testou positivo duas vezes no período de 50 dias. Segundo o grupo, a constatação traz implicações clínicas e epidemiológicas que precisam ser analisadas cautelosamente pelas autoridades em saúde.

De acordo com o Hospital das Clínicas, em 4 de maio, a técnica de enfermagem teve contato com um colega de trabalho infectado, e no dia 6 começou a sentir mal-estar, febre, congestão nasal, dores de cabeça e de garganta. Posteriormente, fez um teste que deu negativo, mas, como os sintomas persistiram, a paciente repetiu o exame cinco dias depois, em 13 de maio, quando deu positivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Novo estudo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP) faz alerta para reinfecção de paciente (Imagem:  Juraj Varga/Pixabay)

Caso acende alerta

Os sintomas desapareceram em dez dias e a técnica de enfermagem voltou ao trabalho normalmente, mas em 27 de junho (38 dias depois), manifestou sinais da doença de novo. Em 2 de julho, cinco dias após o surgimento dos sintomas, a paciente passou por um novo exame e testou positivo. Dessa forma, os pesquisadores concluíram que, além da possibilidade de reinfecção, há ainda a reincidência de sintomas clínicos. "O presente caso apresenta forte evidência não somente de reinfecção por SARS-CoV-2, como de recidiva clínica da COVID-19".

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.