União Europeia quer banir a venda de tabaco aquecido com sabores

União Europeia quer banir a venda de tabaco aquecido com sabores

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 01 de Julho de 2022 às 15h20
Koldunov/Envato

Como parte da estratégia de reduzir o consumo de tabaco entre os europeus, a União Europeia quer banir o uso de tabaco aquecido, com sabores, nos 27 países que a compõe. A medida ainda não foi aprovada, mas foi proposta após a identificação no aumento do consumo de Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs).

A Comissão Europeia anunciou a proposta que pode banir o tabaco aquecido na última quarta-feira (29). Segundo relatório da agência, o consumo de produtos de tabaco aquecidos ultrapassaram 2,5% das vendas totais do mercado de tabaco na UE e, gradualmente, estão se popularizando.

União Europeia estuda proibir a venda de tabaco aquecido com sabor (Imagem: Nenetus/Envato)

Caso aprovada, a proibição abrangeria apenas produtos de tabaco aquecidos, com sabores. Neste caso, o uso de cigarros eletrônicos não seria afetado pela medida proposta, já que têm funcionamentos diferentes.

Cabe mencionar que, nos Estados Unidos, as agências reguladoras, como a Food and Drug Administration (FDA), trabalham diretamente para reduzir o uso de e-cigs. Por exemplo, a venda de cigarros eletrônicos da marca Juul foi proibida.

Qual a diferença entre tabaco aquecido e cigarro eletrônico?

Vale explicar que tanto o tabaco aquecido quanto o cigarro eletrônico são enquadrados na categoria de Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs), segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). "São aparelhos que funcionam com uma bateria e têm diferentes formas e mecanismos de ação. Podem apresentar, por exemplo, o formato de cigarros, canetas e pen drives. Em sua maioria, contêm aditivos com sabores, substâncias tóxicas e nicotina, que é a droga que causa a dependência", define.

De acordo com o Inca, o tabaco aquecido pode ser definido como "dispositivos que produzem aerossóis contendo nicotina e produtos químicos tóxicos, por meio do aquecimento do tabaco ou ativação de um dispositivo contendo tabaco".

Agora, os cigarros eletrônicos são dispositivos "nos quais uma bateria aquece solução líquida (e-liquidos), que contém ou não nicotina em diferentes concentrações, produzindo aerossol (popularmente chamado de vapor) que é inalado pelo usuário".

Fonte: Inca e The Washington Post   

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.