Telas sensíveis ao toque ajudam a reduzir a proliferação de bactérias

Por Redação | 08 de Setembro de 2017 às 18h18

Teclados são um grande concentrador de microorganismos, e isso não é diferente em equipamentos eletrônicos com teclados menores do que os de computadores. Com o surgimento de telas sensíveis ao toque, os teclados físicos estão se tornando obsoletos em diversos equipamentos, como celulares e painéis digitais, mas o avanço dessa tecnologia traz um outro benefício: a redução na proliferação de bactérias.

Afinal, higienizar uma superfície lisa é mais fácil do que uma cheia de teclas, que, por mais limpas que estejam por cima, acumulam sujeira em seu interior. E isso foi comprovado por uma equipe do Karolinska Institute em Estocolmo, que realizou experimentos com os materiais que compõem as telas de smartphones.

Os resultados mostram que quando uma bactéria surge em uma superfície com as condições adequadas, elas se multiplicam e rapidamente cobrem toda a sua área com algo que é chamado de “biofilme” — uma camada extremamente fina, invisível ao olho nu, composta por bactérias. Isso existe em todo lugar, até mesmo no corpo humano, mas pode representar um perigo gigantesco em locais como hospitais, que exigem máxima desinfecção. Sendo assim, ao usar um smartphone sem teclado físico, a limpeza desses aparelhos é mais eficiente no que diz respeito à eliminação de microorganismos.

Além disso, esses materiais das telas touch também reduzem a proliferação bacteriana pelo simples fato de serem uma superfície cheia de elétrons. Agora, com esse tipo de estudo, que foi publicado no periódico NPJ Biofilms and Microbiomes, os cientistas deverão trabalhar no desenvolvimento de capas para equipamentos médicos, que impeçam a proliferação de patógenos.

Fonte: TechRadar