Tatuagem de grafeno pode medir pressão arterial, indica estudo

Tatuagem de grafeno pode medir pressão arterial, indica estudo

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 23 de Junho de 2022 às 09h40
Allef Vinicius/Unsplash

Para aferir a pressão arterial, uma equipe de cientistas norte-americanos desenvolve um novo dispositivo que se assemelha a uma tatuagem eletrônica, por causa das suas dimensões. Feita com grafeno, a tecnologia vestível pode revolucionar o tratamento de pressão alta e ajudar o controle de diferentes doenças do coração. Em tese, o nível de precisão deve ser superior ao de outras opções disponíveis no mercado hoje.

Publicado na revista científica Nature Nanotechnology, o estudo sobre a tatuagem eletrônica foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade do Texas em Austin e da Universidade A&M do Texas, ambas nos Estados Unidos.

Tatuagem eletrônica consegue medir o nível da pressão arterial, segundo cientistas (Imagem: Kirev et al., 2022/Nature Nanotechnology)

Segundo os autores, a tatuagem pode ser considerada "uma plataforma de monitoramento de pressão arterial contínua e vestível", baseada na bioimpedância. Apesar dos resultados promissores, a tecnologia ainda não é uma solução viável para o mercado.

Desafio de medir a pressão

“A pressão arterial é o sinal vital mais importante que você pode medir, mas os métodos para fazê-lo fora da clínica passivamente, sem manguito [o dispositivo padrão], são muito limitados”, explica Deji Akinwande, professor da Universidade do Texas em Austin e um dos autores do projeto, em comunicado.

Vale lembrar que a pressão alta, quando não é tratada, pode desencadear problemas cardíacos graves. Apesar disso, avaliar com precisão a pressão arterial nem sempre é simples — fora de um ambiente médico — e, quando feito, o paciente dificilmente tem seu histórico para entender se ocorreram oscilações no padrão.

“Fazer medições infrequentes da pressão arterial tem muitas limitações e não fornece informações sobre como nosso corpo está funcionando”, acrescenta Roozbeh Jafari, professor da Universidade A&M do Texas e um dos autores do estudo.

Nova tecnologia pode revolucionar a forma como a pressão arterial é medida, deixando o manguito para trás (Imagem: Rawpixel/Freepik)

Caso a tatuagem eletrônica se demonstre efetiva na aferição, ela poderá transformar a forma com a qual os médicos lidam com esse dado. Isso porque será possível medi-la, de forma contínua, em qualquer situação, como durante o sono ou em um momento estressante. Hoje, este entendimento é limitado.

Como funciona a tatuagem inteligente?

De acordo com os cientistas, o uso do grafeno é um dos elementos principais da nova tecnologia, já que é um material muito fino e com boa resistência. A espessura total é de 200 nanômetros, somando as dimensões do sensor. “O sensor para a tatuagem é leve e discreto. Você nem vê e [ele] não se move”, explica Jafari sobre o quão confortável a invenção é.

Para medir a pressão, o dispositivo dispara uma corrente elétrica na pele e analisa a resposta do corpo, o que é conhecido como bioimpedância. A correlação entre a bioimpedância e as alterações na pressão arterial está associada com as mudanças do volume sanguíneo, segundo os autores.

Não poderia ser um relógio inteligente?

Apesar dos benefícios do equipamento que simula uma tatuagem, não seria mais simples adaptar a tecnologia para um relógio inteligente? Segundo os cientistas, a resposta é não. Hoje, os principais smartwatches ainda não estão prontos para o monitoramento da pressão arterial, já que deslizam pelo pulso e não estão tão próximos das artérias. Nestas condições, é mais difícil obter uma leitura tão precisa.

Outro ponto é que os relógios fazem suas leituras através do uso de luz. De acordo com os pesquisadores, a qualidade da medicação poderia oscilar, por exemplo, em pessoas com tons de pele mais escuros. Agora, a nova tecnologia "é igualmente operacional independentemente da cor da pele e capaz de realizar medições noturnas e de longo prazo", apostam.

Fonte: Nature NanotechnologyUT Austin    

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.