Sobe para 530 número de casos de doentes devido aos cigarros eletrônicos nos EUA

Por Claudio Yuge | 20 de Setembro de 2019 às 07h30

Os casos de doenças pulmonares relacionados ao uso dos cigarros eletrônicos só aumenta a cada dia e, o pior, sem muita explicação. Agora, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) dos Estados Unidos afirma que são 530 prováveis casos de pessoas internadas devido aos “vapes”. Nesta quinta-feira (19), os médicos disseram que um homem no Missouri se tornou o oitavo a morrer por conta disso.

De acordo com a Dra. Anne Schuchat, vice-diretora principal da CDC, a previsão é de mais mortes, porque algumas das pessoas apresentam quadros graves. As autoridades de saúde pública dizem que ainda não conseguem identificar a causa — ou causas — desses problemas. Ela afirma que muitos pacientes estão fazendo inalação e são incapazes de detalhar quais substâncias eles fumaram.

(Imagem: Reprodução)

O CDC atualizou também os dados demográficos: quase ¾ são do sexo masculino, e ⅔ possuem entre 18 e 34 anos, sendo que 16% dos pacientes têm 18 anos ou menos. "Mais da metade dos casos tem menos de 25 anos de idade", comenta Anne. Essas “doenças misteriosas do vape” já foram relatadas em 38 estados e em um território dos Estados Unidos.

Mas quais perguntas estão sem respostas?

A maioria dos casos apresenta sintomas parecidos: dores intensas, falta de ar e rápida progressão para um quadro de síndrome de insuficiência respiratória aguda. Os médicos não sabem o quão rápido a pessoa pode piorar a partir do momento em que os pulmões são agredidos pelo vape. Além disso, eles não encontraram uma relação com as substâncias utilizadas.

O que se sabe é que amostras de células dos pacientes mostraram que muitos possuem vestígios de óleo, o que, mesmo em pequena quantidade, pode inflamar os pulmões e vias respiratórias. As pessoas internadas já fumaram os cigarros eletrônicos com derivados da maconha, além de nicotina, solventes e outros químicos — muitas vezes elas nem sabiam o que havia na mistura.

(Imagem: Divulgação/Shopify)

Isso tudo já levou o presidente Donald Trump a proibir os “vapes” com sabores nos Estados Unidos, e o CDC corre para tentar descobrir mais informações. Foram mobilizados 80 agentes de saúde para trabalhar em 150 casos e analisar os exames para encontrar respostas urgentemente.

Fonte: The New York Times  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.