Se você já teve COVID-19, provavelmente seu animal de estimação também teve

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 27 de Maio de 2021 às 12h40
Victor Grabarczyk/Unsplash

Se você já foi diagnosticado com a COVID-19 e tem um animal de estimação, há grandes chances de que ele também tenha se infectado com a doença. A notícia vem de uma pesquisa recente realizada na Itália, de quando pesquisadores buscaram analisar se era comum encontrar o SARS-CoV-2 em cães e gatos.

Eles descobriram que cerca de 2,3% dos cachorros e 16,2% dos gatos analisados contavam com anticorpos para o coronavírus entre os meses de março e junho do ano passado, o que significa que eles foram infectados pela doença. Sendo assim, aproximadamente 20% dos gatos e 3,2% dos cachorros que tiveram donos com COVID-19 também foram contaminados.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Os cientistas chegaram às respostas estudando amostras de 198 animais domésticos, sendo 130 cachorros e 68 gatos, coletadas em toda a Itália, na época em que o país estava com um número alto de casos e óbitos. Também foram analisadas amostras de 100 animais, 65 cães e 35 gatos, de regiões diferentes da Itália antes da pandemia. Segundo os pesquisadores, 54 gatos e 93 cachorros viviam em casas de pessoas que testaram positivo para a COVID-19, e 11 gatos e três cachorros foram identificados com a doença, provavelmente pegando de seus donos.

Imagem: Luis Wilker Perelo WilkerNet/Pixabay

Grande parte dos cães e gatos infectados foram assintomáticos, e apenas quatro desses 14 animais apresentaram sintomas como espirros, tosse e coriza. O estudo concluiu que as amostras dos felinos foram as que contaram com mais resultados positivos, o que confirma que os gatos estão mais vulneráveis à doença do que os cães. "A suscetibilidade dos gatos aos coronavírus humanos relacionados à SARS também foi relatada em 2003, quando uma pesquisa confirmou que os gatos eram os mais suscetíveis à infecção e que poderiam transmitir o vírus a outros animais", diz a pesquisa.

No caso da transmissão do vírus de animais a humanos, os riscos são muito mais baixos, assim como o risco de gatos e cachorros desenvolverem uma forma grave da doença. Um outro estudo, no entanto, encontrou uma ligação entre problemas cardíacos de gatos com as novas variantes da COVID-19. A Rússia saiu na frente e já registrou sua vacina antiCOVID para animais. As primeiras imunizações já começaram.

Fonte: IFL Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.