Remédio contra asma pode ser novo aliado para acelerar recuperação da COVID-19

Remédio contra asma pode ser novo aliado para acelerar recuperação da COVID-19

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 20 de Abril de 2021 às 13h00
Freepik

O medicamento budesonida, usado para o tratamento dos sintomas da asma e rinite alérgica, pode encurtar o tempo de recuperação de pacientes com mais de 50 anos que sofrem com as consequências da infecção pelo coronavírus. A descoberta foi feita pela iniciativa COVID-19 Rapid Response, conduzida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, que busca soluções para intervenções da doença em pessoas mais idosas.

O estudo já é o maior ensaio clínico controlado de fase 3 do mundo que busca por um tratamento eficaz da COVID-19, visando reduzir o tempo de recuperação de forma significativa. As últimas descobertas feitas com a budesonida trazem esperança no tratamento da doença ainda em seu estágio inicial, em ambientes comunitários e fora do hospital. 

O medicamento inalado é considerado um corticosteroide seguro, além de ser barato e fácil de ser encontrado, e começou a ser testado ainda em novembro do ano passado. É usado em inaladores e bombinhas para o tratamento não só da asma, como da doença pulmonar obstrutiva crônica. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/Freepik

Resultados

Nos testes, 961 pacientes receberam a budesonida para a inalação em casa, sendo então comparados com outros 1.819 pacientes que receberam o tratamento tradicional do serviço de saúde do Reino Unido. Entre as pessoas que receberam o medicamento contra a asma, 751 pessoas foram diagnosticadas com o coronavírus, e do outro grupo 1028 pessoas foram infectadas.

Com base nos dados mais recentes, obtidos no dia 25 de março de 2021, os resultados mostram que a estimativa de tempo médio de recuperação com o uso da budesonida inalada foi de 3,01 dias a menos em comparação com o tratamento comum, com probabilidade alta de ser mais eficaz. Além disso, 32% dos pacientes que inalaram o medicamento contra asma se recuperaram nos primeiros 14 dias, enquanto no outro grupo a proporção foi de 22%.

Os participantes do estudo que estavam no grupo da budesonida também relataram ter sentido um maior bem-estar ao longo das duas semanas seguintes. Após 28 dias de estudo, 8,5% das pessoas que estavam no grupo da budesonida precisaram de hospitalização para tratar a COVID-19, enquanto no grupo de cuidados tradicionais 10,3% foram hospitalizados. 

O tratamento foi feito em pacientes que tinham mais de 50 anos e alguma comorbidade que poderia colocá-los em risco caso a doença se agravasse, e também em pessoas com mais de 65 anos.

Fonte: MedicalXpress

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.