Quem tomou segunda dose pode se reunir sem máscara em pequenos grupos, diz CDC

Quem tomou segunda dose pode se reunir sem máscara em pequenos grupos, diz CDC

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 08 de Março de 2021 às 17h00
Freepik

Nesta segunda-feira (8), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA trouxe à tona uma nova orientação: pessoas que foram totalmente vacinadas contra a COVID-19 (ou seja, que tomaram as duas doses do imunizante) podem se reunir em pequenos grupos sem precisar de máscaras. A agência chegou inclusive a atualizar as diretrizes em seu site.

Segundo as novas diretrizes, depois de tomar a segunda dose, ainda se pode visitar pessoas não vacinadas se não pertencerem de forma alguma ao grupo de risco, e pessoas vacinadas que são expostas a alguém com o vírus não precisam ficar em quarentena ou fazer um teste, desde que sejam assintomáticas.

Mas calma: a agência avisou que ainda é necessário usar máscara e praticar o distanciamento social em público, se estiver se reunindo com pessoas não vacinadas de mais de um domicílio ou visitando uma pessoa não vacinada do grupo de risco ou ainda que vive com alguém do grupo de risco.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quem já tomou a segunda dose da vacina contra a COVID-19 pode se reunir sem máscara em pequenos grupos, de acordo com o  CDC (Imagem: user3802032/Freepik)

"Existem algumas atividades que as pessoas totalmente vacinadas podem começar a ser retomadas agora na privacidade de suas próprias casas. Todos, mesmo aqueles que foram vacinados, devem continuar com todas as estratégias quando em locais públicos”, garantiu a diretora do CDC, Rochelle Walensky, em um comunicado. A orientação de viagens do CDC permanece inalterada e as pessoas devem continuar a evitar reuniões de médio e grande porte.

Devemos ter em mente que: uma vacina contra a COVID-19 que apenas previne sintomas pode não prevenir a infecção ou sua transmissão a outras pessoas. Com isso, é possível que uma pessoa vacinada ainda seja uma portadora assintomática do vírus. E se as pessoas vacinadas ainda podem ser propagadoras assintomáticas, isso significa menos proteção indireta.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.