Por que nossos dedos enrugam na água? Cientistas têm uma teoria!

Por que nossos dedos enrugam na água? Cientistas têm uma teoria!

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 27 de Julho de 2021 às 09h40
jcomp/Freepik

Depois de ficar um bom tempo no banho ou em uma piscina, você já deve ter percebido que a pele dos seus dedos fica enrugada, parecendo uma uva-passa ou ameixa seca. O fenômeno já é bastante conhecido há um bom tempo, desde quando éramos crianças, mas... você sabe o motivo disso acontecer?

De acordo com cientistas, a reação da pele seria para melhorar a aderência na hora de pegar em objetos molhados, canalizando a água assim como pneus de carro. Desde a década de 1930, pesquisadores sabem que os dedos não passam por quaisquer danos durante esse processo, sendo então uma reação involuntária do sistema nervoso autônomo, aquele responsável por controlar a respiração, frequência cardíaca e transpiração.

Imagem: Reprodução/Senivpetro

Em um estudo de 2011, o neurobiologista evolucionário Mark Changizi, de Idaho, nos Estados Unidos, concluiu com sua equipe que o enrugamento, sendo um processo ativo, teria uma função evolutiva. O que acontece, portanto, é a constrição dos vasos sanguíneos que estão por baixo da pele, que ficam mais estreitos. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Testes

E no estudo mais recente sobre o assunto, os pesquisadores tentaram comprovar a teoria da aderência usando objetos molhados e secos, incluindo bolinhas de gude dos mais diversos tamanhos. Os voluntários precisaram, então, ficar com as mãos imersas em água morna por cerca de 30 minutos. Na sequência, eles precisaram pegar as bolinhas com os dedos enrugados, mostrando que dessa forma era mais fácil de pegá-las molhadas do que secas. No caso de usar as mãos enrugadas para pegar objetos secos, as rugas não fizeram diferença. Tom Smulders, biólogo evolucionista da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, e co-autor do estudo, explica o teste:

"Mostramos que dedos enrugados trazem uma melhor aderência em condições úmidas, trabalhando como banda de rodagem nos pneus do carro, o que permite uma melhor aderência quando o pneu estiver em contato com a estrada", conta o cientista. Smulders diz ainda que os dedos enrugados podem ter ajudado os ancestrais dos humanos a coletar alimentos na vegetação úmida ou em riachos, assim como nos dedos dos pés pode ter ajudado eles a se manterem firmes na chuva.

Imagem: Reprodução/tawatchai07/Freepik

Mesmo que os testes tenham mostrado resultados positivos para a teoria da aderência, os cientistas ainda não sabem explicar o motivo de os dedos não ficarem enrugados de forma permanente. Uma das teorias de Smulder é que o enrugamento pode diminuir a sensibilidade das pontas de nossos dedos ou aumentar os riscos de danos ao se agarrar aos objetos. Também não se sabe se algo parecido acontece com outros animais além dos humanos e macacos.

Enquanto isso, buscas mais concretas continuam sendo feitas por cientistas para desvendar esse quase mistério. Você pode conferir um dos últimos estudos sobre o assunto na revista científica Biology Letters.

Fonte: Scientific American, Library of Congress

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.