Pfizer começa a testar remédio contra covid-19 no Brasil

Pfizer começa a testar remédio contra covid-19 no Brasil

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 04 de Novembro de 2021 às 18h30
Sommai/Envato Elements

Nesta semana, a farmacêutica norte-americana Pfizer iniciou testes, em humanos, para um novo medicamento contra a covid-19 no Brasil. Administrada por via oral, o antiviral recebe o nome de PF-07321332 e está na Fase 2/3 dos estudos clínicos. Resultados das etapas anteriores foram considerados como promissores.

De acordo com a Pfizer, os testes em humanos do potencial antiviral contra a covid-19 ocorrem nos estados do Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo.

Pfizer testa potencial antiviral contra a covid-19 no Brasil (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato Elements)

No total, mais de 20 centros de pesquisa brasileiros estarão envolvidos nos estudos, incluindo a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Voluntários ainda devem ser recrutados, mas os detalhes sobre a inscrição de todos os centros não foram divulgados. De forma geral, para participar, é necessário ter mais de 18 anos e tanto pessoas vacinadas contra a covid-19 quanto as que ainda não se imunizaram poderão participar.

Vale destacar que o estudo foi previamente aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). Além disso, conta com a licença dos Comitês de Ética dos centros de pesquisa selecionados.

O que sabemos sobre o remédio da Pfizer contra covid?

O potencial medicamento da Pfizer é da classe dos inibidores de uma enzima chamada protease. Isso significa que o remédio atua contra a enzima, conseguindo bloquear sua ação e impedindo a produção de novas cópias das células infectadas.

"A PF-07321332 já demonstrou potente atividade in vitro contra o SARS-CoV-2 nas fases pré-clínicas, assim como adequadas segurança e tolerabilidade em estudos de Fase 1 em humanos", explica a empresa, em nota.

Durante os testes brasileiros, o antiviral será coadministrado com uma baixa dose do Ritonavir — este é um antirretroviral utilizado em tratamento de infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Para a validação do tratamento, o estudo nacional terá três grandes divisões com diferentes perfis de voluntários, sendo todos randomizados, duplo-cegos e controlados por placebo.

A seguir, confira como funcionará:

  • Estudo em pacientes não vacinados ou vacinados com suspeita e/ou diagnóstico da covid-19, mas com baixo risco de desenvolver doença grave (sem comorbidades);
  • Estudo em pacientes não vacinados com suspeita e/ou diagnóstico de covid-19, mas com elevado risco de desenvolver doença grave;
  • Estudo em pessoas não vacinadas cujos contatos domiciliares estão com a covid-19.

“Em linha com o compromisso de contribuir no combate à pandemia da covid-19 e entendendo que as medidas vão além da vacinação, realizamos ensaios iniciais de rastreamento de compostos antivirais em busca de potenciais moléculas, os resultados positivos da molécula PF-07321332 em fase pré-clínica e Fase 1 nos fez avançar para Fase 2/3 com a participação do Brasil", afirmou Márjori Dulcine, diretora médica da Pfizer Brasil, em comunicado.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.