OMS interrompe testes com hidroxicloroquina por razões de segurança

OMS interrompe testes com hidroxicloroquina por razões de segurança

Por Natalie Rosa | 25 de Maio de 2020 às 15h20
Reprodução: Pixabay

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de anunciar, de acordo com a Bloomberg, que seus testes com a hidroxicloroquina foram interrompidos. O medicamento vem sendo testado contra a COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus, pela sua iniciativa Solidarity, que vem coordenando testes para o tratamento ideal em diversos países.

A decisão, anunciada nesta segunda-feira (25), acontece poucos dias depois de a revista científica Lancet divulgar um estudo sobre o uso do medicamento, alegando que o seu uso pode ser fatal.

De acordo com a pesquisa, realizada com base em 96 mil pacientes de hospitais do mundo todo, foi constatado que a cloroquina (ou hidroxicloroquina), seja associada a antibióticos ou não, apresenta uma taxa de mortalidade consideravelmente maior em relação aos pacientes que não fizeram seu uso.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial de Saúde, contou em coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça, que é importante continuar a colher evidências sobre a eficácia e a segurança do uso do medicamento. "Nós queremos usá-la se for segura e eficaz, se reduz a mortalidade e o tempo de hospitalização sem aumentar os efeitos diversos", disse a cientista.

Imagem: Reprodução

O chefe do programa de emergência de saúde da OMS, Mike Ryan, contou que não há sinais de qualquer problema nos testes do Solidarity, mas que a decisão foi tomada como forma de extrema precaução. O conselho de monitoramento de segurança deve se encontrar novamente para discutir o tema, com a decisão sendo revisada nas próximas semanas.

Segundo o estudo divulgado na semana passada, o uso da cloroquina ou hidroxicloroquina provoca o aumento da taxa de mortalidade, além de aumentar os riscos de arritmia ventricular, o que pode causar uma parada cardíaca.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.