OMS acredita que milhões de vacinas da COVID devem ser enviadas ainda em 2020

OMS acredita que milhões de vacinas da COVID devem ser enviadas ainda em 2020

Por Natalie Rosa | 18 de Junho de 2020 às 17h15
Tania Rego\Agencia Brasil

A Organização Mundial de Saúde, a OMS, acaba de divulgar suas previsões para a distribuição de vacinas contra a COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus. De acordo com a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, milhões de doses devem ser produzidas ainda neste ano, e 12 bilhões até o fim de 2021.

A missão da organização, atualmente, é designar quem deve receber as primeiras doses da vacina assim que houver a aprovação. A prioridade deve ser concedida a profissionais que estão na linha de frente do combate à doença, como médicos e enfermeiros, pessoas mais idosas e aquelas que apresentam comorbidade, ou ainda quem estão sempre em aglomerações, como prisões e casas de repouso.

Swaminathan diz estar otimista e esperançosa pela criação da vacina, apesar da complexidade do processo. "Mas o desenvolvimento de uma vacina é um empreendimento complexo, que vem com muitas incertezas. O bom é que nós temos muitas vacinas e plataformas, então mesmo que a primeira falhe, ou a segunda, não podemos perder a esperança, não devemos desistir", diz a cientista.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução

Cerca de 10 vacinas estão em fase de testes em humanos, trazendo esperança para que não demore a aprovação e distribuição das doses, o que deve prevenir a propagação do vírus. Alguns países já estão adiantando o processo, fazendo acordos com empresas farmacêuticas para fazer o pedido de doses, antes mesmo que alguma esteja pronta.

De acordo com a cientista, parte do otimismo em relação à vacina é a esperança com a eficácia, uma vez que ainda não há provas de que o novo coronavírus tenha sofrido alguma mutação— o que poderia não só agravar os casos da doença, como também atrapalharia o desenvolvimento das doses.

 

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.