Ômicron é responsável por 73% dos novos casos da covid nos EUA

Ômicron é responsável por 73% dos novos casos da covid nos EUA

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 21 de Dezembro de 2021 às 11h40
twenty20photos/envato

A variante Ômicron (B.1.1.529) do coronavírus SARS-CoV-2 já é predominante nos Estados Unidos. Segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a nova variante representa 73% dos novos casos da covid-19 registrados na semana passada.

Os números do CDC apontam para um aumento de quase seis vezes da frequência da Ômicron nas novas infecções em apenas uma semana. A estimativa nacional sugere que mais de 650 mil infecções tenham ocorrido em decorrência da nova variante nos EUA, durante a última semana.

Variante Ômicron representa mias de 70% dos novos casos da covid-19 nos Estados Unidos (Imagem: Reprodução/Photocreo/Envato)

O que sabemos sobre a Ômicron?

Por enquanto, as equipes do CDC não têm estimativas sobre quantas hospitalizações ou mortes foram causadas pela variante Ômicron, mas os dados são coletados e, em breve, deverão ser atualizados. Nesse sentido, a Ômicron permanece desconhecida, inclusive por não se saber ao certo se ela causa uma forma mais grave ou mais leve da covid-19.

Além disso, os primeiros estudos sobre as vacinas reforçam a importância do reforço para que o paciente tenha as melhores chances de prevenir a infecção. Sem a dose extra, os imunizantes atuais ainda devem oferecer proteção contra doenças graves e morte.

Variante Ômicron predomina nos EUA

“Prevejo que, com o tempo, a [variante] Delta [B.1.671.2] será eliminado pelo Ômicron”, afirmou a diretora do CDC, Rochelle Walensky. Vale lembrar que, até o final do mês de novembro, mais de 99,5% dos casos da covid-19 registrados tinham como origem a variante Delta.

Para Walensky, os atuais números refletem o tipo de crescimento da variante Ômicron visto em outros países. No momento, a nova cepa já foi identificada em cerca de 90 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, os dados dos EUA apontam "um salto notável em tão pouco tempo" da Ômicron, destacou Eric Topol, pesquisador do Scripps Research Translational Institute. Para Topol, o cenário precisa ser acompanhado, agora, para entender o desafio que o país terá que lidar.

Fonte: Time  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.