Nova droga promove "limpeza" no cérebro e protege do Alzheimer; entenda

Nova droga promove "limpeza" no cérebro e protege do Alzheimer; entenda

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 07 de Maio de 2021 às 07h30
twenty20photos/envato

O que você acha de uma droga experimental capaz de reverter os principais sintomas do Alzheimer? Pois é justamente essa a descoberta dos pesquisadores da Albert Einstein College of Medicine. Na prática, esse medicamento funciona como uma espécie de mecanismo de limpeza, que elimina proteínas indesejadas das células cerebrais.

Esse processo de limpeza das células é conhecido como CMA (autofagia mediada por chaperona), e se torna menos eficiente à medida que a pessoa envelhece, aumentando o risco de que proteínas indesejadas se acumulem, danificando as células.

Acontece que o Alzheimer é caracterizado justamente pela presença de proteínas tóxicas no cérebro. Esse novo estudo revela uma interação dinâmica entre o CMA e a doença, e sugere que as drogas para acelerar o CMA podem oferecer esperança para o tratamento de doenças neurodegenerativas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Droga promove limpeza de proteínas indesejáveis nas células cerebrais (Imagem: microgen/envato)

Os pesquisadores fizeram o estudo com camundongos, atribuindo neurônios cerebrais sem CMA. A ausência de CMA em um tipo de célula cerebral foi suficiente para causar perda de memória de curto prazo e até dificuldade de locomoção.

Com isso, a equipe desenvolveu um novo medicamento que mostra potencial para o tratamento de Alzheimer. Essa droga revitaliza a eficiência do CMA ao aumentar os níveis de seus principais componentes. Os pesquisadores testaram essa droga em camundongos, e as doses orais administradas ao longo de 4 a 6 meses levaram a melhorias na memória, depressão e ansiedade. A capacidade de locomoção melhorou significativamente, e houve uma redução dos aglomerados de proteínas indesejáveis.

Fonte: Science Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.