Molnupiravir: potencial remédio contra covid poderá ser produzido pela Fiocruz

Molnupiravir: potencial remédio contra covid poderá ser produzido pela Fiocruz

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 18 de Outubro de 2021 às 16h30
Duallogic/Envato Elements

Caso seja comprovada a eficácia e a segurança, potencial remédio contra a covid-19, o antiviral molnupiravir, poderá ser produzido no Brasil. Isso porque a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está “conversas avançadas” com a farmacêutica norte-americana MSD para a fabricação. O medicamento da MSD obteve resultados promissores no tratamento da infecção do coronavírus SARS-CoV-2, e já é testado no país.

“A Fiocruz tem acompanhado diversos projetos candidatos para o tratamento da covid-19”, explicou a fundação em nota. “Os projetos enviados à fundação passam por avaliação de uma comissão técnica criada para essa finalidade com o objetivo de avaliar os resultados preliminares e a tecnologia de produção”, continuou.

Se todo o processo correr conforme o planejado, a ideia é fabricar o remédio contra a covid-19 no Instituto de Tecnologia em Fármacos, conhecido como Farmanguinhos, no Rio de Janeiro. Antes, será preciso que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceda autorização de uso emergencial para o medicamento.

Fiocruz poderá produzir antiviral molnupiravir contra a covid-19 (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato Elements)

Afinal, o que é o molnupiravir?

Trata-se de um antiviral que age no organismo, atrapalhando a replicação do coronavírus. Nesses casos, o agente infeccioso tem maior dificuldade em se replicar, o que diminui sua concentração no organismo do paciente e faz com que a possível infecção perca força. O uso recomendado da medicação é de 5 dias, logo que se descobre a possibilidade da infecção.

De acordo com a farmacêutica, o antiviral reduziu em aproximadamente 50% os riscos de internação e morte em um estudo clínico global de Fase 3.  A partir destes resultados, a MSD solicitou à agência reguladora de medicamentos e alimentos dos EUA, a Food and Drug Administration (FDA), autorização para uso emergencial do remédio.

Se a fórmula receber o aval da FDA, este será o primeiro medicamento oral indicado para casos leves e moderados da covid-19. Nos EUA, o tratamento deve custar cerca de US$ 700, o que equivale a R$ 3,5 mil.

Testes do remédio no Brasil

Na semana passada, a Fiocruz anunciou que o antiviral molnupiravir seria testado no Brasil em um novo estudo de Fase 3, no qual seria avaliada a eficácia e a segurança do uso profilático pós-exposição (PEP). Nesse contexto, são recrutadas pessoas que foram expostas ao coronavírus, mas que não foram ainda vacinadas.

“Precisamos recrutar pessoas que tenham tido exposição ao vírus como, por exemplo, as que moram na mesma casa em que alguém ficou doente, e que não estejam vacinadas ou tenham tomado a primeira dose há menos de uma semana”, explicou a pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo.

Os participantes receberão o tratamento ou o placebo, sem saber em qual grupo estão, durante cinco dias. O acompanhamento dos pesquisadores será feito, no total, por 29 dias. O objetivo será testar a segurança e a eficácia do remédio na prevenção da doença.

Fonte: Estadão  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.