Mais de 360 mil casos: pandemia do coronavírus está se acelerando, afirma OMS

Por Fidel Forato | 24 de Março de 2020 às 17h27
DW

Ameça global, a pandemia da COVID-19 já infectou mais de 360 mil pessoas no planeta, e levou mais de 16 mil ao óbito pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Mesmo que em alguns países o número de casos tenha sido controlado, como na China, a doença muda seu epicentro para a Europa e começa a chegar com mais força em outros países, como o Brasil. Nesse cenário, a propagação do vírus vem crescendo, como alerta a Organização Mundia da Saúde (OMS).

“A pandemia está se acelerando”, afirma o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em uma entrevista coletiva na sede da organização, em Genebra, na Suíça. “Foram necessários 67 dias desde o primeiro caso relatado para atingir 100.000 casos, 11 dias para os segundos 100.000 casos e apenas quatro dias para os terceiros 100.000 casos”.

Pandemia do novo coronavírus ganha mais velocidade, segundo a OMS (Foto: Reprodução/ BuzzFeed News)

União do G20

Nos próximos dias, Ghebreyesus deve solicitar ajuda para o G20  — grupo internacional de líderes de governos e do banco central, de países como Estados Unidos, China e Alemanha —, em busca de intensificar a produção de equipamentos para proteção individual de médicos e profissionais da saúde. A medida procura evitar que a exportação desses equipamentos básicos seja proibida, na onda do fechamento das fronteiras internacionais de diversas nações.

Anteriormente, a OMS já solicitara que fornecedores de equipamentos de proteção, como máscaras descartáveis e luvas, dessem prioridade para o envio desses materiais para as regiões mais afetadas pelo novo coronavírus, no globo. Além disso, suas declarações têm desencorajado que o público, em geral, armazene esses produtos, criando grandes estoques.

Proteção de médicos e enfermeiros

“Precisamos de união entre os países do G20, que têm mais de 80% do PIB global”, afirma o diretor-geral da OMS. “Se não priorizarmos a proteção dos profissionais de saúde, muitas pessoas morrerão, porque o profissional de saúde que poderia ter salvado suas vidas está doente”, alerta Ghebreyesus sobre os riscos que esses profissionais correm.

Na sexta-feira (20), as autoridades da OMS alertaram que a pandemia da COVID-19 poderia, muito provavelmente, sobrecarregar os sistemas de saúde em todo o mundo. Isso aconteceu em um período de, apenas, algumas semanas.

“Veja o que está acontecendo em alguns sistemas de saúde em todo o mundo. Observe as unidades de terapia intensiva completamente sobrecarregadas. Médicos e enfermeiros totalmente exaustos”, questiona Mike Ryan, diretor-executivo da OMS. “Isto não é normal. Esta não é apenas uma temporada ruim de gripe”, defende Ryan.

Além disso, a OMS afirma ter conhecimento de estudos vindos de diferentes países, que analisam como o coronavírus se comporta em diversas condições ambientais e qual é sua capacidade de sobrevivência nesses cenários adversos. Por enquanto, os cientistas analisam especificamente como a umidade, a temperatura e a luz ultravioleta afetam a propagação da doença, fatores que poderiam dificultar sua transmissão em países de clima mais quente, por exemplo.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.