Índia planeja exportar vacina contra COVID-19 ao Brasil ainda nesta semana

Por Nathan Vieira | 09 de Fevereiro de 2021 às 17h00
Maksim Goncharenok/ Pexels

Já estamos acompanhando a linha de chegada daquela famosa corrida das vacinas: inúmeros países inclusive deram início às suas respectivas campanhas de vacinação, começando com os grupos prioritários. No Brasil, não é diferente. O país tem parcerias com biofarmacêuticas como a Sinovac, da China, e agora a Bharat Biotech, da Índia, vai exportar sua vacina para o país. O anúncio foi feito nesta terça (9), com direito a promessa de que a vacina pode chegar ainda nesta semana.

Trata-se da vacina intitulada Covaxin (desenvolvida com o estatal Conselho Indiano de Pesquisa Médica) que será exportada não apenas para o Brasil, como também para os Emirados Árabes Unidos. Vale observar que a vacina em questão já foi aprovada na Índia para uso emergencial, ainda sem dados de eficácia. 

No começo do ano, o Brasil buscou na Índia dois milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela biofarmacêutica AstraZeneca. No entanto, a situação com a Índia agora é bem diferente, uma vez que a Bharat Biotech pediu autorização para realizar um teste da Covaxin no Brasil. Mas é bom prestar atenção no seguinte: se alguma empresa brasileira importar a vacina, ela não poderá aplicá-la até ter a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Índia planeja exportar vacina contra COVID-19 Covaxin ao Brasil e aos Emirados Árabes ainda nesta semana (Imagem: Thirdman/Pexels)

Na prática, isso significa que a importadora poderia trazer as doses, mas seria obrigada a manter a guarda das vacinas. Com isso em mente, a farmacêutica decidiu pedir à Anvisa autorização para testes da fase 3 da vacina. De acordo com a agência de notícias Reuters, os resultados de um teste com 25.800 participantes da Índia serão divulgados em março.

A agência de notícias ainda acrescenta que foi uma própria porta-voz da Bharat Biotech que confirmou as exportações aos dois países e que elas poderiam começar nesta semana, e que a empresa pediu autorização de uso emergencial nas Filipinas, com direito a 5,5 milhões de doses fornecidas ao governo indiano e 4,5 milhões à venda. A Índia também encomendou mais 10 milhões de doses da vacina da AstraZeneca ao Instituto Serum, que fabrica as vacinas na Índia.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.