Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19

Por Wagner Wakka | 01 de Abril de 2020 às 18h04

O governo vai usar um mecanismo de ligações automatizadas para acompanhar casos da COVID-19 no Brasil. Em coletiva nesta terça-feira (31), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou a medida.

“Hoje (31), a gente dispara as ligações. Então não se espantem se receberem as ligações, fazer uma consulta, vai te perguntando, você vai respondendo, e aí ela começa a acompanhar. O sistema com inteligência artificial vai triando, começa a acompanhar e dizer: posso te ligar daqui a oito horas, dez horas, 12 horas?" (sic), disse o ministro em coletiva. 

Em uma fala rápida, ele disse apenas que o sistema será comandado por um algoritmo e ligado a um grande data center. “A gente fez um algoritmo com disparo de ligações para 125 milhões de brasileiros”, informou. 

A proposta é reunir informações sobre casos da doença, identificando lugares onde a COVID-19 pode estar mais espalhada. O sistema utilizado pelo governo será a Unidade de Resposta Audível (URA), que, diferente de uma inteligência artificial, não reage exatamente ao que o usuário fala, apenas registra respostas simples. 

Como funciona? 

Segundo informações oficiais do governo, o usuário terá certeza de que se trata de uma ligação oficial pelo número 136, que vai aparecer no identificador de chamadas. Portanto, caso você receba uma ligação que não seja deste número pedindo informações, não passe seus dados. 

“Anunciamos grandes ferramentas para auxiliar o atendimento à população durante a pandemia do coronavírus. Vamos monitorar os sintomas das pessoas sem que elas precisem sair de casa. Foi um trabalho grande, focamos nisso nos últimos dias porque é uma ferramenta de gestão de pessoas que vai nos auxiliar em toda a mobilidade social. É um grande trabalho de bioestatística e modelagem social”, informa Mandetta. 

O sistema também será usado para acompanhar o estado de saúde de pessoas em quarentena. As pessoas vão receber indicações de tratamento, caso sejam identificadas com COVID-19. 

O governo também informou que fez uma atualização no aplicativo Coronavírus SUS, por onde também entrará em contato com o usuário. “A recente atualização permite que o Ministério da Saúde possa enviar mensagens e alertas aos celulares e tablets, mesmo com app fechado ou não sendo utilizado naquele momento”, notifica nota do governo. 

Um dos desafios do governo deve ser evitar fraudes em ligações para a população. Desde quando a COVID-19 começou a se propagar pelo mundo, golpes relacionados à doença também cresceram. 

Segundo a agência de segurança Zscaler, o número de tentativas de ataques em março cresceu 20%, usando a COVID-19 como tema. A companhia acompanhou 20 golpes atrelados à COVID-19 que utilizaram técnicas de phishing. A ação é assim chamada quando o golpista usa um link ou site malicioso como isca para roubar dados do usuário. Ainda, o grupo relatou 7 mil downloads de programas maliciosos atrelados à promessa de apps com dados oficiais sobre a COVID-19. 

Por isso, é importante reforçar que, caso você receba uma ligação que não seja do número identificado no seu smartphone como 136, do Disque Saúde, não responda às perguntas

O Canaltech buscou contato com a assessoria do Ministério para ter mais detalhes sobre o sistema. O governo ainda não apresentou quais serão as informações questionadas ao usuário, nem se dados pessoais, como nome, endereço e região serão levantados. A nota apresentada até o momento desta publicação também não informa em que banco de dados estas informações serão guardadas. Assim que o Canaltech obtiver resposta, esta reportagem será atualizada.

Fonte: Ministério da Saúde

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.