Fundação Bill & Melinda Gates aposta em novo remédio contra o HIV; entenda

Por Fidel Forato | 25 de Novembro de 2020 às 14h40
Ave Calvar Martinez/Pexels

Há muitos anos, a ciência busca formas efetivas de combater novos casos do HIV, mas a infecção crônica que pode desencadear a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) está longe de ser controlada. Em números, apenas em 2019, mais de 1,7 milhão de pessoas foram contaminadas por esse vírus, segundo dados levantados pela iniciativa das Nações Unidas para o combate da doença, a UNAIDS. Nesse cenário, a Bill & Melinda Gates aposta em uma nova droga contra o contágio.

Em parceria com a fundação, a farmacêutica norte-americana MSD anunciou o início da terceira (e última) fase de estudos com uma molécula experimental, conhecida pelo nome de islatravir, para tratamento e prevenção do HIV. Dessa forma, o estudo deve avaliar uma nova opção de PrEP (profilaxia pré-exposição) para uso oral e de longa duração. A ideia do novo medicamento, ainda em pesquisa, é que seja possível tomar um único comprimido por mês para a prevenção segura da infecção.

Fundação Bill & Melinda Gates e farmacêutica MSD apostam em novo remédio contra o HIV (Imagem: Reprodução/ Christine Sandu/ Unsplash)

O que é PrEP?

A profilaxia pré-exposição (PrEP) é um método de prevenção à infecção por HIV, ou seja, é um tratamento contínuo para que pessoas não se contaminem com o vírus, mesmo em casos que ela se exponha a eventuais riscos. Atualmente, esse método consiste na ingestão diária de um comprimido que combina dois medicamentos, Tenofovir e Entricitabina, que agem bloqueando alguns "caminhos" usados pelo vírus para infectar o organismo do paciente. Ou seja, é uma forma de prevenção para grupos de risco.

"O mundo não será capaz de acabar com a pandemia de HIV até que possamos efetivamente prevenir a aquisição do HIV por indivíduos e populações em risco", explica o Dr. Emilio Emini, diretor do programa TB & HIV da Fundação Bill & Melinda Gates, sobre a iniciativa. "Essa colaboração ajudará a avançar a ciência e potencialmente oferecerá uma nova opção para prevenir a aquisição de HIV entre mulheres em risco, tanto na África subsaariana quanto globalmente", completa Emini.

Fase 3 de testes de medicamento contra o HIV

Na última etapa antes da aprovação, o estudo avalia a eficácia e a segurança de islatravir administrado oralmente uma vez por mês como PrEP. Neste momento, o foco será um grupo de 4,5 mil mulheres cisgênero, de 16 a 45 anos, com alto risco de infecção pelo HIV, tanto na África subsaariana quanto nos Estados Unidos.

Além disso, o estudo será randomizado e duplo-cego. No grupo controle, as voluntárias receberão outros retrovirais que protegem contra o HIV, e não um placebo. Sobre a importância do estudo, vale ressaltar que mais da metade das novas infecções no mundo por HIV ocorrem na África Subsaariana, com as mulheres respondendo por quase 60% das novas infecções nesta região.

"Nossa colaboração com a Fundação Bill & Melinda Gates exemplifica nossa missão compartilhada de acabar com a epidemia global de HIV através de inovações significativas na prevenção do HIV, incluindo opções adicionais de PrEP", afirma o Dr. Roy D. Baynes, chefe de desenvolvimento clínico global da MSD. "Por meio dessa colaboração, podemos explorar ainda mais o potencial de islatravir como parte de nosso trabalho em direção ao objetivo coletivo de saúde pública, de reduzir o número de novas infecções pelo HIV no mundo," completa Baynes.

Fonte: Com informações da UNAIDS  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.